STR_SONDAGEM_SERVICOS

Sondagem de Serviços

 A Sondagem do Setor de Serviços foi a primeira pesquisa conjuntural de âmbito nacional a levantar de forma sistemática informações sobre este segmento, que responde por mais de 63%% do PIB nacional (dado de 2016) .). O conjunto de resultados gerados mensalmente informa sobre tendências de curto prazo e o quadro geral das empresas do setor, indicadores relevantes na orientação da tomada de decisão empresarial e de política econômica.

A série histórica da Sondagem de Serviços teve início em junho de 2008. Os resultados são divulgados no máximo até o segundo dia útil do mês seguinte ao de referência, de acordo com calendário previamente divulgado no site do IBRE/FGV. A metodologia da pesquisa está alinhada à experiência internacional e enfatiza a evolução de variáveis relacionadas ao contexto operacional da empresa relevantes para a compreensão do estado geral dos negócios naquele segmento de atuação.

O questionário da Sondagem de Serviços é direcionado à empresa. Abrange temas como a situação dos negócios, volume de demanda, faturamento, preços e contingente de mão-de-obra.

As perguntas apresentam opções de resposta de natureza qualitativa (ex.: o volume de demanda atual pode ser forte/normal/fraco; a previsão para o total de pessoal ocupado pela empresa é de aumento/estabilidade/diminuição).

O horizonte temporal das perguntas pode ser classificado em quatro modalidades: observações a respeito do trimestre imediatamente anterior ao mês de referência da pesquisa; avaliações sobre o momento de realização da pesquisa; previsões para o trimestre que se inicia no mês de referência da pesquisa; e previsões para o semestre que se inicia no mês de referência da pesquisa, horizonte adotado somente no quesito relativo às perspectivas para a situação dos negócios.

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) é o indicador-síntese da pesquisa, composto por quatro quesitos: Volume de demanda atual, Situação Atual dos negócios e expectativas sobre Volume de demanda (três meses) e Situação dos negócios (seis meses).

A cobertura setorial é similar à da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) do IBGE, abrangendo os setores de serviços excluindo governo, setor saúde, parte das atividades de ensino, setor financeiro e comércio (coberto em outra Sondagem da FGV/IBRE). Os resultados são divulgados para o Setor de Serviços como um todo, para 17 segmentos e duas saídas especiais.

Os segmentos setoriais são definidos de acordo com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas, versão 2.0 (CNAE 2.0), do IBGE.

A série histórica da Sondagem de Serviços na CNAE 2.0 inicia-se em junho de 2008.