Nota do editor

Compartilhe

Eleito com uma margem apertada – cerca de 2,1 milhões de votos -, na disputa mais acirrada desde a redemocratização do país em 1985, Lula volta ao governo, aos 77 anos de idade, pela terceira vez.

Diferente de seus dois mandatos anteriores, quando o boom de commodities, especialmente nos primeiros quatro anos, turbinou a economia – nos oito anos de seu governo o PIB teve uma média de crescimento de 4,1% –, o novo presidente assume com um mundo mais hostil, crescendo menos, com uma inflação em alta no planeta, um país polarizado, aumento da fome e da desigualdade, e um cobertor muito curto para aumentar gastos e colocar em prática a sua principal missão: erradicar a fome e a pobreza.

Esta edição de Conjuntura Econômica traz alguns desafios que aguardam Lula e sua equipe.
 

Data
Revista relacionada