Barômetros Globais interrompem sequência de altas

O Barômetro Econômico Global Coincidente recua 1,6 ponto e o Barômetro Antecedente, recua 6,0 pontos em fevereiro, passando a 92,4 pontos e 105,5 pontos, respectivamente. Em ambos os casos, a região da Ásia, Pacífico & África exerce a maior contribuição para a queda, enquanto as demais regiões contribuem de forma discreta e em direções variadas. A distância entre os indicadores diminui no mês, mas permanece elevada, em 13,1 pontos.

“A evolução favorável dos Barômetros Globais nos meses anteriores refletia em boa medida o desempenho superior ao que se previa anteriormente da economia mundial, com destaque para a resiliência americana e a melhora do ambiente na China e Leste Asiático. O resultado de fevereiro representa uma calibragem das expectativas, mostrando que o crescimento em 2024 - ainda que superior ao previsto anteriormente - permanecerá inferior ao da média dos 20 anos anteriores à pandemia de covid-19, sob impacto do prolongado aperto monetário na maioria dos países e dos riscos de alta de preços de commodities em decorrência de sucessivos choques geopolíticos”, avalia Aloisio Campelo Jr., pesquisador do FGV IBRE.

Barômetro Coincidente – Indicadores de regiões e setores

A queda do Barômetro Coincidente em fevereiro foi inteiramente determinada pelo indicador da região da Ásia, Pacífico & África, com uma contribuição negativa de 1,6 ponto, já que as contribuições da Europa e do Hemisfério Ocidental, de -0,2 e +0,2 ponto, respectivamente, se anularam no mês. Os indicadores coincidentes regionais continuam flutuando na faixa dos 90 pontos, sinalizando uma recuperação ainda modesta da atividade econômica global. O gráfico abaixo ilustra a contribuição de cada região para a distância do Barômetro Coincidente em relação aos 100 pontos. 
Dentre os indicadores setoriais coincidentes, todos recuam em fevereiro, com destaque para a Construção, que voltou a registrar o menor nível entre os demais, retornando à faixa dos 80 pontos. 

Barômetro Antecedente – Indicadores de regiões e setores

O Barômetro Global Antecedente antecipa os ciclos das taxas de crescimento mundial entre três e seis meses. Em fevereiro, a maior contribuição negativa foi dada pela região da Ásia, Pacífico & África, de 6,1 pontos. O Hemisfério Ocidental contribui modestamente com -0,2 ponto, enquanto a Europa segue em direção oposta ao contribuir com 0,3 ponto para a evolução do indicador final. O indicador da Ásia, Pacífico & África reflete uma calibragem do forte otimismo registrado no mês anterior, enquanto as expectativas da Europa e Hemisfério Ocidental caminham de lado, em patamar ainda favorável.
Em fevereiro, todos os indicadores setoriais antecedentes recuam, com destaque para o da Economia (avaliações dos consumidores e agregadas empresariais), o único agora a registrar nível inferior a 100 pontos.