Barômetros Globais recuam com guerra na Europa e aumento de casos de Covid-19 na China

Barômetros Globais recuam com guerra na Europa e aumento de casos de Covid-19 na China

Os Barômetros Globais recuam mais intensamente em abril refletindo choques como o conflito entre Rússia e Ucrânia e o aumento do número de casos de Covid-19 na China. O Barômetro coincidente situa-se agora abaixo do nível médio histórico de 100 pontos, enquanto o afastamento mais expressivo do indicador antecedente sinaliza a perspectiva de uma maior desaceleração do crescimento mundial do que a prevista anteriormente para os próximos meses. 

O Barômetro Econômico Global Coincidente cai 6,1 pontos em abril, para 99,2 pontos, menor nível desde janeiro do ano passado (97,2 pts.); o Barômetro Econômico Global Antecedente recua 6,3 pontos, para 86,9 pontos, menor nível desde julho de 2020 (74,2 pts.). O resultado do indicador Coincidente é influenciado principalmente pela região da Ásia, Pacífico & África. Aa queda do indicador Antecedente é motivada quase que exclusivamente pela piora das perspectivas futuras nos países europeus. 

As incertezas sobre os efeitos do conflito na Europa que já se faziam sentir em março se intensificaram em abril, com impactos na cadeia de suprimentos que tendem a intensificar a elevação generalizada de preços na grande maioria dos países. Como resultado, os barômetros globais coincidente e antecedente registraram novas quedas em abril, sinalizando dificuldade na manutenção da recuperação do nível de atividades, mesmo no setor de serviços que tem sido beneficiado pelo relaxamento das restrições de mobilidade no contexto do abrandamento da pandemia. A volta dessas restrições na região da Ásia aumenta o contexto de incerteza sobre a evolução do nível de atividades nos próximos meses”, avalia Paulo Picchetti, pesquisador do FGV IBRE.

Barômetro Coincidente – Indicadores de regiões e setores

Em abril, os três indicadores coincidentes regionais recuam. A região da Ásia, Pacífico & África contribui negativamente com 3,7 pontos (ou 61%) para a queda do Barômetro Coincidente Global. O indicador da Europa contribui com -1,9 pts. e o Hemisfério Ocidental contribui com apenas -0,5 ponto. A queda dos indicadores regionais reflete uma revisão das avaliações correntes sobre o crescimento econômico global, frente à a piora do cenário pandêmico na China e ideia de risco contínuo da Covid-19, além da deflagração do conflito Rússia-Ucrânia e seus primeiros impactos na economia. O Gráfico 2 do Press Release ilustra a contribuição de cada região para a distância do Barômetro Coincidente em relação aos 100 pontos. 

Todos os indicadores setoriais coincidentes também recuam no mês. A maior queda vem dos setores da Indústria e da Construção, que cedem mais de 8,0 pontos na margem, seguidos do Comércio, com queda de 6,2 pontos. Com o resultado, três dos cinco indicadores setoriais estão agora abaixo do nível médio histórico de 100 pontos.

Barômetro Antecedente – Indicadores de regiões e setores

O Barômetro Global Antecedente antecipa os ciclos das taxas de crescimento mundial em três a seis meses. A Europa contribui com 6,0 pontos (ou 95%) para a queda de 6,3 pontos do indicador global. O Hemisfério Ocidental contribui com -0,5 ponto, enquanto o indicador da Ásia, Pacífico & África cresceu e contribui na direção oposta, em 0,2 ponto. Entre os indicadores regionais, a Europa registra o menor nível desde julho de 2020 (68,3 pts.). O resultado sugere que as expectativas de crescimento para os próximos meses foram fortemente revisadas, com o aumento do pessimismo após o início do conflito entre Rússia e Ucrânia. 

Em abril de 2022, houve queda em todos os indicadores antecedentes setoriais, exceto na Construção. A Indústria recua em mais de 12 pontos para, 87,3 pontos, menor nível desde julho de 2020 (82,7 pts.). Além dos problemas já existentes nas cadeias de suprimentos industriais em diversos países, o prolongamento do conflito na Europa adiciona ainda incertezas sobre o desempenho do setor. Nos demais segmentos, o impacto até momento ocorre em menor magnitude.