Barômetros Globais recuam e reforçam a tendência de normalização no primeiro trimestre de 2022

Barômetros Globais recuam e reforçam a tendência de normalização no primeiro trimestre de 2022

Os Barômetros Globais recuam mais intensamente em março refletindo em parte o processo de normalização da economia global no início de 2022 e é amplamente impulsionado por revisões nas avaliações da Ásia. O indicador coincidente continua relativamente forte no mês, mas o afastamento do indicador antecedente do nível médio histórico de 100 pontos pode ser um primeiro sinal da possibilidade de uma desaceleração mais forte nos próximos meses do que a anteriormente prevista. 

O Barômetro Econômico Global Coincidente cai 3,3 pontos em março, para 103,9 pontos, menor nível desde março do ano passado (100,9 pts.); o Barômetro Econômico Global Antecedente recua 2,7 pontos, para 96,4 pontos, menor nível desde julho de 2020 (80,8 pts.). O resultado de ambos os Barômetros foi fortemente influenciado pela região da Ásia, Pacífico & África. Os dados nos quais os Barômetros se baseiam até o momento são principalmente relativos ao período anterior à guerra na Ucrânia. Portanto, esta guerra e a nova escalada econômica, incluindo aumentos de preços para energia e commodities, só devem ter influenciado os resultados atuais de forma muito limitada.

Os aumentos disseminados de preços ao redor do mundo, e seus efeitos sobre decisões de política monetária, já constituíam o principal desafio para a manutenção da retomada do ritmo da atividade econômica após o arrefecimento das medidas de distanciamento social. O impacto imediato do conflito na Ucrânia já se fez sentir em aumentos adicionais de preços das principais commodities, elevando significativamente a incerteza sobre a evolução da atividade econômica ao longo de todos os setores e regiões.”, avalia Paulo Picchetti, pesquisador do FGV IBRE.

Barômetro Coincidente – Indicadores de regiões e setores

Em março, a região da Ásia, Pacífico & África contribui com 3,0 pontos (ou 93%) para a queda do Barômetro Coincidente Global. O indicador do Hemisfério Ocidental contribui com 0,3 ponto, enquanto o da Europa ficou estável no mês. O indicador desta região, na faixa dos 112 pontos, continua sendo o maior entre as três regiões. O Gráfico 2 do Press Release ilustra a contribuição de cada região para a distância do Barômetro Coincidente em relação aos 100 pontos. 

Quatro dos cinco indicadores setoriais coincidentes recuaram no mês, com destaque para a Indústria e a Construção, que cederam quase 7,0 pontos na margem. No sentido oposto, o indicador do Comércio registra a maior alta desde maio de 2021. Com o resultado, o indicador está acima dos 117 pontos e tem o maior nível entre os indicadores setoriais.

Barômetro Antecedente – Indicadores de regiões e setores

O Barômetro Global Antecedente antecipa os ciclos das taxas de crescimento mundial em três a seis meses. A região da Ásia, Pacífico & África é a única a contribuir negativamente para a evolução do Barômetro Antecedente em março de 2022, com -4,1 pontos. O Hemisfério Ocidental contribui positivamente com 0,9 ponto, seguida da Europa, com 0,5 ponto. 

Em março de 2022, houve queda em todos os indicadores antecedentes setoriais, exceto na Indústria. A Construção registra o menor nível desde julho de 2020 (77,9 pts.), enquanto o setor de Serviços situa-se no extremo oposto, com um indicador acima dos 100 pontos.