Barômetros Globais sinalizam intensificação da desaceleração mundial

Barômetros Globais sinalizam intensificação da desaceleração mundial

Os Barômetros Globais recuaram pelo segundo mês seguido, refletindo um acúmulo de fatores negativos como o conflito entre Rússia e Ucrânia, o surto de covid na China e a escalada inflacionária mundial.  O Barômetro coincidente mantém-se abaixo do nível médio histórico de 100 pontos, enquanto o Antecedente se afasta da média, refletindo o aumento do risco de desaceleração mais acentuada em diversos países. 

O Barômetro Econômico Global Coincidente cai 5,5 pontos em maio, para 93,3 pontos, menor nível desde outubro do ano passado (90,7 pts.); o Barômetro Econômico Global Antecedente recua 1,9 pontos, para 84,2 pontos, menor nível desde julho de 2020 (72,9 pts.). Os resultados deste mês são influenciados principalmente, pela região da Ásia, Pacífico & África seguida pelo Hemisfério Ocidental. 

No início de 2022, as expectativas em relação à evolução dos preços dos insumos essenciais eram de desaceleração, mesmo com a retomada da atividade econômica. Essas expectativas foram sendo frustradas nos últimos meses, no contexto de novos desafios nas cadeias de suprimentos, desfazendo a percepção de choques inflacionários transitórios. Somadas a esse contexto, as reações de política monetária das principais economias do mundo sinalizam uma desaceleração do nível de atividades, impactando negativamente os barômetros globais.”, avalia Paulo Picchetti, pesquisador do FGV IBRE.

Barômetro Coincidente – Indicadores de regiões e setores

Em maio, os três indicadores coincidentes regionais recuam. A região da Ásia, Pacífico & África contribui negativamente com 2,9 pontos (ou 53%) para a queda do Barômetro Coincidente Global. O indicador da Europa contribui com -1,8 pts. e o Hemisfério Ocidental contribui com apenas -0,8 ponto. A segunda queda consecutiva dos indicadores regionais confirma o aumento do pessimismo sobre o crescimento econômico global, frente à piora do cenário pandêmico na China, a continuidade do conflito Rússia-Ucrânia e a inflação elevada em diversos países do mundo. O gráfico abaixo ilustra a contribuição de cada região para a distância do Barômetro Coincidente em relação aos 100 pontos. 

Todos os indicadores setoriais coincidentes também recuam fortemente no mês. As maiores quedas vêm da Construção e Economia Geral (avaliações dos consumidores e agregadas empresariais), seguidos de Indústria, Serviços, Comércio. Com o resultado, todos os cinco indicadores setoriais estão agora abaixo do nível médio histórico de 100 pontos.

Barômetro Antecedente – Indicadores de regiões e setores

O Barômetro Global Antecedente antecipa os ciclos das taxas de crescimento mundial em três a seis meses. Em maio a Ásia, Pacífico & África e o Hemisfério Ocidental contribuem de forma negativa para o resultado do indicador global, em 3,2 e 1,9 pontos, respectivamente, enquanto a Europa segue em sentido oposto e contribui positivamente em 3,2 pontos. O resultado sugere que as expectativas de crescimento para os próximos meses têm sido fortemente revisadas nas duas primeiras regiões, devido ao surto de Covid-19 na China e possivelmente pela política monetária restritiva nos Estados Unidos, para conter o avanço da inflação. O indicador regional da Europa, por sua vez, recupera cerca de metade da forte queda ocorrida no mês anterior face à deflagração do conflito entre Rússia e Ucrânia.

Em maio de 2022, houve queda em três dos cinco indicadores antecedentes setoriais. O maior recuo veio da Economia Geral (avaliações dos consumidores e agregadas empresariais) seguido de Serviços e Indústria. Em sentido oposto, Construção subiu mais de 6,0 pontos e Comércio registra alta modesta no mês. O resultado sugere que a piora global da inflação é fator de preocupação entre consumidores e empresas, além dos problemas já existentes nas cadeias de suprimentos industriais em diversos países e que vêm sendo prolongados pelo conflito na Europa.