A cara da pobreza mudou

04/11

No momento mais inflamado de seu primeiro discurso como presidente eleito, quando já havia esgotado as páginas previamente escritas – seguro contra qualquer deslize da memória, diante do compromisso de ser assertivo em suas primeiras palavras a um Brasil polarizado –, Lula declarou que combater a miséria é a razão pela qual viverá até o fim da vida. Em 2021, a extrema pobreza no país chegou perto de 10% da população, recuando 14 anos, se aproximando do que foi visto em 2007-2008.

Surpreende este resultado, quando observamos a recuperação da economia, já em meados de 2020. O gráfico abaixo mostra que o processo de aumento da extrema pobreza tem sido consiste desde 2014, menos com a recuperação da atividade econômica da crise de 2014-2016, turbinada pelo aumento dos gastos sociais, especialmente durante a COVID-19.

Leia na íntegra no Blog da Conjuntura Econômica.