Em outubro, valor médio da cesta básica cai em cinco das oito cidades pesquisadas

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos de outubro/22 reduziu em relação ao mês anterior em cinco das oito capitais analisadas mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE. A redução no valor da cesta variou de -4,3% a -0,1% e, nas três cidades onde houve aumento, as variações foram de 0,5% a 2,9%.

As cidades que apresentaram as maiores altas foram Curitiba (2,9%) e Manaus (1,1%). Já Belo Horizonte e Salvador registraram as maiores quedas, com -4,3% e -3,5%, respectivamente.

A cesta mais cara continua a ser a do Rio de Janeiro (R$ 882,48), seguida pelas de São Paulo (R$ 867,55) e Fortaleza (R$ 782,16). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 641,77), Manaus (R$ 687,46) e Brasília (R$ 718,96) registraram os menores valores.

Dos 18 produtos da cesta básica, três apresentaram aumento de preço em todas as capitais: legumes, frutas e farinha de mandioca. Por outro lado, o leite UHT apresentou queda em todas as cidades pesquisadas.
Outros produtos que apresentaram altas expressivas em diversas capitais foram ovos, fubá e farinha de milho, manteiga, dentre outros listados nas tabelas do release.

O destaque de alta no mês foram os legumes, em especial batata, cebola e cenoura, seguidos das frutas (banana, maçã e laranja), devido à redução de área plantada dos legumes e às recentes chuvas, o que ocasionou redução da oferta de hortifrutis nas principais redes atacadistas, elevando o preço.

O preço da farinha de mandioca também tem sido impactado pelas condições climáticas e pela redução da área de plantio.

O leite UHT, por sua vez, apresentou retração do preço em oito capitais em outubro, com o enfraquecimento da demanda e o crescimento da oferta, com aumento de importações e aproximação do fim da entressafra em setembro/outubro.

Além do leite, outros produtos que registraram queda de preço em quase todas as capitais foram o óleo de soja, feijão, açúcar e frango, devido, basicamente, à maior oferta no mercado e à menor demanda no varejo.

A variação acumulada no valor da cesta básica, nos últimos seis meses, foi diferente entre as capitais, variando de -2,5% em Curitiba e alcançando 4,4% em Belo Horizonte.

O gráfico do release mostra a trajetória do valor da cesta básica, por capital.

Os alimentos que mais subiram de preço nos últimos seis meses, em todas as capitais, estão apresentados na tabela do release. O leite UHT e derivados continuam sendo o destaque.
             
Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve aumento no valor médio em quatro capitais analisadas, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A queda no valor da cesta nas demais cidades variou de -3,5% a -0,3%. A cidade que apresentou valor mais alto da cesta ampliada foi São Paulo (R$ 1.880,76).

Dos 33 produtos da cesta ampliada, cinco tiveram aumento de preço em todas as cidades, com destaque para derivados do leite e a cesta de higiene e limpeza.

Em outubro de 2022, seguindo a tendência verificada em setembro, percebe-se uma desaceleração nos preços de alguns alimentos, em especial daqueles que vinham sendo considerados, recentemente, os vilões da inflação, como é o caso do leite UHT. Por outro lado, frutas e legumes mantém a trajetória de alta, já registrada em setembro.