Entrevista

20/09

Uma das contribuições para a matéria de capa da Conjuntura Econômica de setembro – que trata das implicações da conjuntura global para a competitividade brasileira – é a do economista Rafael Cagnin, do Iedi. Leia, abaixo, trechos complementares à análise de Cagnin publicada na revista: 

Desde a pandemia de Covid-19, e agora com os impactos da guerra na Ucrânia – especialmente no suprimento de energia para a Europa – fala-se em uma reconfiguração das cadeias de valor globais. Quais as chances de haver mudanças significativas no desenho das cadeias industriais, e em que medida isso pode beneficiar o Brasil? 
Essa é uma discussão bastante disseminada, mas muito incipiente também. Uma reconfiguração dessa estrutura produtiva global implementada desde os anos 1990, que em busca da eficiência distribuiu a produção em diferentes empresas, em diferentes países não acontece da noite para o dia, pois leva tempo e tem custos relevantes. Isso posto, há dois processos em andamento, um privado, e outro público, alimentados pelo risco de rupturas de cadeias. 

Leia na íntegra no Blog da Conjuntura Econômica.