Indicador de Incerteza da Economia caiu 4,2 pontos em agosto

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas caiu 4,2 pontos em agosto, para 116,6 pontos, menor nível desde abril deste ano (114,9 pts.).

“O indicador de Incerteza recua em agosto, devolvendo 71% das altas ocorridas entre maio e julho. Influenciam no resultado a redução da pressão inflacionária após a queda de preços de combustíveis e energia e o dinamismo do mercado de trabalho. Apesar da queda, o indicador continua em patamar historicamente elevado, situando-se acima da alta média de 115 pontos observada entre julho de 2015 e fevereiro de 2020. Uma redução mais expressiva do indicador dependerá principalmente da conjuntura econômica nos próximos meses, particularmente da perspectiva de sustentação da atual fase de crescimento, mas também do quadro político após as eleições”, afirma Anna Carolina Gouveia, Economista do FGV IBRE

Os dois componentes do Indicador de Incerteza caminharam no mesmo sentido em agosto. O componente de Mídia caiu 2,6 pontos, para 115,1 pontos, contribuindo de forma negativa com 2,3 pontos para o índice agregado. O componente de Expectativas, que mede a dispersão nas previsões de especialistas para variáveis macroeconômicas, recuou 9,3 pontos, para 115,4 pontos, contribuindo negativamente com 1,9 ponto para a evolução na margem do IIE-Br.