Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Monitor do PIB-FGV aponta crescimento de 1,1%, na atividade econômica em novembro, em comparação a outubro, e de 4,4% no trimestre móvel findo em novembro, em comparação ao trimestre móvel findo em agosto. Na comparação interanual, a economia apresentou queda de -0,6% em novembro e de -1,7% no trimestre móvel findo em novembro.

IPC-S de 15 de janeiro de 2021 variou 0,52%, ficando 0,27 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa divulgada na última apuração. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.

 

O IGP-M subiu 2,37% no segundo decêndio de janeiro, ante 1,18% no mesmo período do mês anterior. Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 23,41% para 25,46%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem do segundo decêndio de dezembro para o segundo decêndio de janeiro: IPA, de 1,17% para 3,08%, IPC, de 1,23% para 0,42%, e INCC, de 1,20% para 0,97%. 

O IPC-S de 15 de janeiro de 2021 desacelera 0,27 ponto percentual (p.p) em comparação a primeira quadrissemana de janeiro de 2021, registrando taxa de 0,52%. A maior contribuição para esse movimento partiu do item tarifa de eletricidade residencial, cuja taxa passou de 7,16% para 2,00%.

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 1,33% em janeiro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 1,97%. Com este resultado, o índice acumula alta de 24,49% em 12 meses. Em janeiro de 2020, o índice subira 1,07% no mês e acumulava elevação de 7,81% em 12 meses. Os três componentes do IGP-10 apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de dezembro para janeiro: IPA, de 2,27% para 1,60%, IPC, de 1,27% para 0,59%, e o INCC, de 1,12% para 0,76%.

O Relatório Focus do Banco Central em 3 de janeiro de 2020 projetava para o ano um crescimento do PIB de 2,3%, uma balança comercial com superávit de US$ 38,2 bilhões e entrada de investimento direto estrangeiro de US$ 80 bilhões. O superávit da balança comercial foi de US$ 50,9 bilhões, o valor do investimento estrangeiro no país foi de US$ 33 bilhões (jan-novembro) e o PIB deverá recuar em 4,7%, segundo a projeção do Boletim Macro do Ibre. Nesse cenário, o único resultado positivo foi o superávit comercial que contribuiu para a queda do déficit em conta corrente num momento de retração da entrada de capital no país.

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a FGV IBRE e The Conference Board (TCB), subiu 0,4% para 124,1 pontos em dezembro de 2020.O Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, avançou em 0,3% para 108,8 pontos, no mesmo período. 

Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, registrou no quarto trimestre de 2020, variação de 2,81%. Em 12 meses, o IPC-3i acumula alta de 5,69%. Com este resultado, a variação do indicador ficou acima da taxa acumulada pelo IPC-BR, que foi de 5,17%, no mesmo período.

O IGP-M subiu 1,89% na primeira prévia de janeiro. Em dezembro, no mesmo período de apuração, este índice havia registrado taxa de 1,28%. Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 23,52% para 24,87%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem da primeira prévia de dezembro para a primeira prévia de janeiro: IPA, de 1,39% para 2,42%, IPC, de 0,86% para 0,38%, e INCC, de 1,24% para 0,94%. 

IPC-S capitais de 07 de janeiro de 2021 variou 0,79%, ficando 0,28 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa divulgada na última apuração. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.