Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getulio Vargas subiu 1,2 ponto em dezembro, para 85,7 pontos, maior nível desde fevereiro de 2020, momento pré-pandemia no Brasil. O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) avançou 3,0 pontos para 102,6 pontos, maior nível desde janeiro de 2017, quando o indicador registrou o mesmo valor. 

As Sondagens do FGV IBRE registraram queda da confiança empresarial e dos consumidores no último mês de 2020, refletindo as incertezas em relação aos rumos da pandemia de covid-19 e ao fim do auxílio emergencial, além dos grandes desafios a serem enfrentados pela economia em 2021. A confiança industrial sustenta a fase ascendente. Os demais setores registram certo desaquecimento e redução do otimismo.

O IPC-S de 31 de dezembro de 2020 variou 1,07%, ficando 0,14 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa divulgada na última apuração. Seis das sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.

IPC-S de 31 de dezembro de 2020 variou 1,07%, ficando 0,14 ponto percentual (p.p) abaixo da taxa registrada na última divulgação. Com este resultado, o indicador acumula alta de 5,17% no ano e nos últimos 12 meses.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) recuou 0,4 ponto em dezembro, para 95,2 pontos.

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) comunica o encerramento do período de divulgações extraordinárias de prévias de suas Sondagens de Tendência a partir de janeiro de 2021. O IBRE divulgou resultados preliminares das Sondagens a partir de abril de 2020 com o intuito de ajudar no monitoramento da economia e no planejamento de estratégias que ajudassem a mitigar os efeitos da crise. A despeito das dificuldades na obtenção de dados durante este período, acreditamos que a divulgação tempestiva destas informações consistiu em um instrumento útil diante das mudanças rápidas e abruptas provocadas na economia brasileira pela pandemia de COVID-19. 

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas recuou 3,5 pontos em dezembro, para 142,3 pontos. O indicador está 27,2 pontos acima do nível de fevereiro passado (último mês antes do início da pandemia no Brasil) e 5,5 pontos acima do nível máximo anterior a esse período, alcançado em setembro de 2015.

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), da Fundação Getulio Vargas, subiu 0,8 ponto em dezembro, para 86,2 pontos, após dois meses de quedas consecutivas. O índice encerra o ano 10 pontos abaixo ao nível registrado em 2019 (96,2 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice cedeu 0,5 ponto.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) variou 0,96% em dezembro, ante 3,28% em novembro. Entre janeiro e dezembro de 2020, o índice acumulou alta de 23,14%. Em dezembro de 2019, o índice havia subido 2,09% e acumulava alta de 7,30% em 12 meses. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias na passagem de novembro para dezembro: IPA, de 4,26% para 0,90%, IPC, de 0,72% para 1,21% e INCC, de 1,29% para 0,88%. 

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas avançou 1,8 ponto em dezembro, atingindo 114,9 pontos, o maior valor desde maio de 2010 (116,1 pontos).