Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas subiu 6,2 pontos em janeiro, para 79,3 pontos, compensando a maior parte das perdas de acumuladas nos dois meses anteriores (6,7 pontos) e retornando ao patamar próximo ao de setembro passado.

A expectativa mediana dos consumidores brasileiros para a inflação nos 12 meses seguintes recuou de 9,1% para 7,9% em janeiro, o menor valor desde janeiro de 2015 (7,2%). A queda de 1,2 ponto percentual (p.p.) na margem representou a maior variação negativa da série iniciada em setembro de 2005.

A prévia da Sondagem da Indústria de janeiro de 2017 sinaliza alta de 3,1 pontos do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em relação ao número final do mês anterior, para 87,8 pontos. Com o resultado, o índice retornaria ao patamar de setembro passado, revertendo as perdas do último trimestre do ano.

O IPC-S de 22 de janeiro de 2017 apresentou variação de 0,63%, 0,01 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada na última divulgação.

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), caiu 1,7% entre novembro e dezembro atingindo 101,2 pontos (2010 = 100). Das oito séries componentes, sete contribuíram para queda do indicador em dezembro; a taxa de juros SWAP de 360 dias foi a única que variou positivamente. O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, também elaborado pelo FGV/IBRE e pelo TCB, que mensura as condições econômicas atuais, subiu 0,3% entre novembro e dezembro, atingindo a marca de 97,8 pontos (2010 = 100). Considerando os dados revisados, este resultado sucede uma alta de 0,5% em novembro e uma queda de 0,4% em outubro.

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 0,88%, em janeiro. No mês anterior, a taxa de variação foi de 0,20%. Em janeiro de 2016, a variação foi de 0,69%. Em 12 meses, o IGP-10 registrou alta de 7,15%. Os três componentes do IGP-10 apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de dezembro para janeiro: IPA, de 0,22% para 1,08%, IPC, de 0,09% para 0,54%, e INCC, de 0,31% para 0,30%.

O Monitor do PIB-FGV apresentou crescimento de 0,67% no mês de novembro quando comparado a outubro, na série com ajuste sazonal. Em contrapartida, no trimestre móvel findo em novembro, o PIB recuou 0,87%, em comparação ao trimestre imediatamente anterior (jun-jul-ago), também na série com ajuste sazonal.

O IGP-M registrou, no primeiro decêndio de janeiro, taxa de variação de 0,86%. Em dezembro, no mesmo período de apuração, este índice variou 0,20%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem do primeiro decêndio de dezembro para o primeiro decêndio de janeiro: IPA, de 0,30% para 1,13%, IPC, de -0,02% para 0,40%, e INCC, de 0,12% para 0,22%.

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) variou 0,83%, em dezembro. Em novembro, o índice variou 0,05%. Em dezembro de 2015, a variação foi de 0,44%. A taxa acumulada em 2016, até dezembro, foi de 7,18%. Em 2015, o IGP-DI registrou alta de 10,70%. Os três componentes do IGP-DI apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de novembro para dezembro: IPA, de -0,01% para 1,10%, IPC, de 0,17% para 0,33%, e INCC, de 0,16% para 0,35%.

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) do mês de dezembro apresentou variação de 0,19%, taxa 0,13 ponto percentual (p.p.) acima da apurada em novembro, quando o índice registrou variação de 0,06%. Com este resultado, o indicador acumulou alta de 6,22%, em 2016. Em dezembro, o IPC-BR registrou variação de 0,33%. A taxa do indicador no ano ficou em 6,18%, próxima a apurada pelo IPC-C1.