Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Monitor do PIB-FGV aponta crescimento de 0,6%, na atividade econômica em outubro, em comparação a setembro, e de 6,4% no trimestre móvel findo em outubro, em comparação ao trimestre móvel findo em julho. Na comparação interanual, a economia apresentou queda de -2,7% em outubro e de -3,1% no trimestre móvel findo em outubro.

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a FGV IBRE e The Conference Board (TCB), recuou 0,1% para 123,3 pontos, após seis altas consecutivas. O Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, também recuou em 0,1% para 101,8 pontos, no mesmo período. 

O IPC-S de 15 de dezembro de 2020 subiu 1,41%, ficando 0,06 ponto percentual (p.p) acima da taxa registrada na última divulgação. Com este resultado, o indicador acumula alta de 5,53% no ano e nos últimos 12 meses.

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou 1,97% em dezembro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 3,51%. Com este resultado, o índice encerrou o ano com alta de 24,16%. Em dezembro de 2019, o índice subira 1,69% no mês e acumulava elevação de 6,39% em 12 meses. Os três componentes do IGP-10 apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de novembro para dezembro: IPA, de 4,59% para 2,27%, IPC, de 0,55% para 1,27%, e o INCC, de 1,51% para 1,12%.

No mês de novembro, o superávit da balança comercial foi de US$ 3,7 bilhões, o que levou a um saldo positivo de US$ 51 bilhões no acumulado do ano. Nesse mesmo período em 2019, o saldo acumulado havia sido de US$ 42 bilhões. Em termos de valor, o comportamento dos dados agregados das exportações e importações repetiu o que vem ocorrendo ao longo do ano. A queda mais acentuada nas importações — 2,6% entre novembro de 2019 e de 2020 — do que nas exportações, recuo de 1,2%, explica o superávit. Na comparação interanual do acumulado do ano até novembro, essa diferença é ainda maior: exportações, queda de 7,4% e importações de 14,7%.

A prévia extraordinária das Sondagens da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), com dados coletados até o dia 11 deste mês, sinaliza recuo pelo terceiro mês consecutivo da confiança empresarial e dos consumidores em dezembro. 

A prévia de dezembro do Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas sinaliza queda de 5,1 pontos no mês, para 140,7 pontos. Com o resultado, o indicador estaria 3,9 pontos acima do último pico anterior a pandemia, em setembro de 2015 e, 26 pontos acima de fevereiro de 2020, período pré-pandemia.

Os Barômetros Globais Coincidente e Antecedente da Economia sinalizam desaceleração do ritmo de retomada da atividade econômica mundial em dezembro, refletindo a chegada de uma segunda onda de covid-19 em diversos países. O Barômetro Coincidente interrompe a sequência de altas. O Barômetro Antecedente, que sinalizou otimismo nos meses anteriores, ensaia um retorno para a zona de neutralidade, enquanto as expectativas se voltam para o início das campanhas de vacinação.

O IGP-M variou 1,28% na primeira prévia de dezembro. Em novembro, no mesmo período de apuração, este índice havia registrado taxa de 2,67%. Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 23,79% para 23,52%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem da primeira prévia de novembro para a primeira prévia de dezembro: IPA, de 3,48% para 1,39%, IPC, de 0,41% para 0,86%, e INCC, de 1,31% para 1,24%. 

IPC-S de 07 de dezembro de 2020 subiu 1,35%, ficando 0,41 ponto percentual (p.p.) acima da taxa divulgada na última apuração. Todas as sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação.