Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

IPC-S da segunda quadrissemana de outubro de 2021 variou 1,29% e acumula alta de 10,29% nos últimos 12 meses. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.

 

No mês de setembro, a balança comercial registrou um superávit de US$ 4,3 bilhões, o que levou a um saldo acumulado nos nove primeiros meses do ano de US$ 56,6 bilhões. Na comparação entre os acumulados do ano até setembro, o aumento do valor exportado supera o das importações, mas por uma margem pequena. No caso das exportações, o crescimento foi de 37% e para as importações, de 36,4%. Na comparação interanual mensal, a diferença é maior e a favor das importações, que cresceram 51,9%, enquanto as exportações, 33,2%.

O IPC-S da segunda quadrissemana de outubro de 2021 variou 1,29% e acumula alta de 10,29% nos últimos 12 meses.

 

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) caiu 0,31% em outubro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de -0,37%. Com este resultado, o índice acumula alta de 16,08% no ano e de 22,53% em 12 meses. Em outubro de 2020, o índice variara 3,20% no mês e acumulava elevação de 19,85% em 12 meses. Os três componentes do IGP-10 apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de setembro para outubro: IPA, de     -0,76% para -0,77%, IPC, de 0,93% para 1,26%, e o INCC, de 0,43% para 0,53%.

IPC-S da primeira quadrissemana de outubro de 2021 repetiu a taxa de variação apurada na última divulgação, quando havia sido de 1,43% e acumula alta de 10,45% nos últimos 12 meses.

IPC-S da primeira quadrissemana de outubro de 2021 registrou taxa de variação de 1,43%, idêntica a apurada na última divulgação. Com este resultado, a variação acumulada em 12 meses passou de 9,61% para 10,45%.

Em outubro, os Barômetros Econômicos Globais mantêm a tendência de enfraquecimento iniciada em julho, refletindo a desaceleração do crescimento econômico mundial no segundo semestre de 2021. A queda mais intensa do Barômetro Antecedente sugere uma possível intensificação desta tendência nos próximos três a seis meses. 

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) do Instituto Brasileiro de Economia do FGV IBRE recuou 3,1 pontos em setembro, para 87,0 pontos, menor nível desde maio de 2021 (83,4 pts.).

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) caiu 0,55% em setembro, percentual inferior ao apurado no mês anterior, quando caíra 0,14%. Com este resultado, o índice acumula alta de 15,12% no ano e de 23,43% em 12 meses. Em setembro de 2020, o índice havia subido 3,30% e acumulava elevação de 18,44% em 12 meses.

IPC-S da quarta quadrissemana de setembro de 2021 subiu 1,43% e acumula alta de 9,60% nos últimos 12 meses. Seis das sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação.