Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

A alta dos Índices de Confiança em maio reflete uma aceleração do nível de atividade no mês e as perspectivas de avanço da campanha de vacinação no país. Os setores do Comércio e de Serviços influenciaram fortemente o resultado empresarial mas a Indústria continua sendo o único setor com um nível de confiança elevado.  A confiança dos Consumidores mantém a tendência de alta iniciada no mês passado, mas ainda registra nível muito baixo, refletindo as preocupações com relação ao mercado de trabalho, a inflação e a situação da pandemia no Brasil.

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (FGV IBRE) subiu 9,8 pontos em maio, ao passar de 84,1 para 93,9 pontos, nível mais alto desde outubro de 2020 (95,8 pontos). Em médias móveis trimestrais, o indicador subiu 1,0 ponto, registrando a primeira alta depois de seis meses de quedas consecutivas.

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), do FGV IBRE, subiu 6,4 pontos em maio, para 88,1 pontos, maior nível desde fevereiro de 2020 (94,4 pontos). Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 1,6 ponto, a primeira alta ano deste ano

 

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) do FGV IBRE subiu 7,9 pontos em maio, para 97,7 pontos, maior nível desde março de 2014, último mês antes da recessão de 2014-2016.  

O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas recuou 9,5 pontos em maio, para 119,9 pontos. Com o resultado, o indicador agora está apenas 4,8 pontos acima do nível de fevereiro de 2020, último mês antes da chegada da pandemia de covid-19 ao Brasil.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M)  subiu 4,10% em maio, contra 1,51 no mês anterior. Com este resultado o índice acumula alta de 14,39% no ano e de 37,04% em 12 meses. Em maio de 2020, o índice havia subido 0,28% e acumulava alta de 6,51% em 12 meses. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias na passagem de abril para maio: IPA, de 1,84% para 5,23%, IPC, de 0,44% para 0,61% e INCC, de 0,95% para 1,80%. 

 

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) do FGV IBRE subiu 0,7 ponto em maio para 104,2 pontos, recuperando a queda observada no mês de abril. Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 1,2 pontos. 

 

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 1,80% em maio, percentual superior ao apurado no mês anterior, quando o índice variara 0,95%. Com este resultado, o índice acumula alta de 6,92% no ano e de 14,62% em 12 meses. Em maio de 2020, o índice variou 0,21% no mês e acumulava alta de 4,14% em 12 meses. A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 1,88% em abril para 2,58% em maio. O índice referente à Mão de Obra passou de 0,01% em abril para 0,99% em maio.

 

O Índice de Confiança da Construção (ICST), do FGV IBRE, subiu 2,2 pontos em maio, para 87,2 pontos, a primeira alta deste ano.  Em médias móveis trimestrais, o índice recuou 1,6 ponto, a quinta queda consecutiva.

 

IPC-S de 22 de maio de 2021 subiu 0,66% e acumula alta de 7,82% nos últimos 12 meses. Todas as sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação.