Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira® (IACE), publicado em parceria entre a FGV IBRE e The Conference Board (TCB), recuou 4,7% em março para 114,5 pontos, a maior queda desde novembro de 2008. A variação acumulada nos últimos seis meses também ficou negativa, em 3,5%. Das oito séries componentes, seis contribuíram negativamente para o resultado, com as maiores contribuições dadas pelo Índice de Expectativas do setor de Serviços e pelo Índice Bovespa, que recuaram 18,3% e 29,9% na margem, respectivamente.

Os efeitos da pandemia ainda não aparecem nas estatísticas do comércio exterior. Um estudo divulgado no website da Organização Mundial do Comércio (OMC) estima que a queda no comércio mundial variará entre 12,9% (cenário otimista) e 31,9% (cenário pessimista). No entanto, como salientado no estudo, essas são projeções preliminares, pois incertezas quanto à duração, à intensidade e à expansão geográfica do COVID-19 dominam o cenário mundial.

A prévia extraordinária das Sondagens da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), com dados coletados até o dia 13 deste mês, sinaliza fortes quedas nos índices de confiança em abril de 2020. Em relação ao número final de março, o Índice de Confiança Empresarial (ICE) recuaria 27,6 pontos, para 53,7 pontos. Já o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) cairia 22,1 pontos, para 58,1 pontos. Em ambos os casos, os resultados preliminares representariam os menores níveis da série histórica.

A edição de abril dos barômetros Coincidente e Antecedente da Economia Global mostra que a pandemia do coronavírus vem exercendo um impacto crescente sobre a economia mundial. A segunda queda forte e seguida dos dois indicadores levou à disseminação do impacto para além da região asiática.

IPC-S de 07 de abril de 2020 registrou variação de 0,38%, ficando 0,04 ponto percentual (p.p.) acima da taxa divulgada na última apuração. Cinco das sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação.

O IGP-M subiu 1,05% na primeira prévia de abril. Em março, no mesmo período de apuração, este índice variou 0,15%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem da primeira prévia de março para a primeira prévia de abril: IPA, de 0,20% para 1,43%, IPC, de -0,06% para 0,33%, e INCC, de 0,34% para 0,16%.

O IAE-FGV – Resultado final, aponta crescimento de 0,1% da atividade econômica em fevereiro. Este resultado reforça a trajetória de baixo crescimento da economia brasileira observada nos três últimos anos. No trimestre móvel findo em fevereiro o crescimento da atividade foi de 0,4%. Ambas as taxas foram calculadas na série com ajuste sazonal e são comparadas com os períodos imediatamente anteriores.

O IPC-S de 07 de abril de 2020 subiu 0,38%, ficando 0,04 ponto percentual (p.p) acima da taxa registrada na última divulgação.

O IGP-M subiu 1,05% na primeira prévia de abril. Em março, no mesmo período de apuração, este índice variou 0,15%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem da primeira prévia de março para a primeira prévia de abril: IPA, de 0,20% para 1,43%, IPC, de -0,06% para 0,33%, e INCC, de 0,34% para 0,16%.

A atividade econômica continua, em janeiro e fevereiro, com sua trajetória de baixo crescimento observada nos três últimos anos. O IAE-FGV aponta crescimento de 0,3% da atividade econômica em fevereiro e crescimento de 0,4% no trimestre móvel findo em fevereiro. Ambas as taxas foram calculadas na série com ajuste sazonal e são comparadas com os períodos imediatamente anteriores.