Press Releases

Compartilhe

Os releases acompanham os dados levantados para cada um de nossos indicadores e sondagens e têm o objetivo de fornecer conteúdo para a confecção da sua matéria.

Confira abaixo a lista de press releases dos nossos índices e sondagens.

O Monitor do PIB-FGV sinaliza que o PIB retraiu 4,0% em 2020. Pela ótica da produção, dos três grandes setores de atividade (agropecuária, indústria e serviços), apenas a agropecuária cresceu no ano (2,0%). Enquanto pela ótica da demanda, todos os componentes retraíram, com destaque para o consumo das famílias com retração de 5,2% no ano. 
 

IPC-S de 15 de fevereiro de 2021 variou 0,35%. Com este resultado, o indicador passou a acumular alta de 0,62% no ano e 5,22% nos últimos 12 meses.

O ano iniciou com déficit na balança comercial no valor de US$ 1,1 bilhões, inferior ao de janeiro de 2020 (US$ 1,7 bilhões). Observa-se que em janeiro de 2020, o resultado foi explicado pelo maior recuo das exportações em valor (-19,8%) comparado com o das importações (-1,3%). Em janeiro de 2021, o valor exportado aumentou em relação a igual período do ano anterior (+2,2%) e as importações caíram (-1,5%).

O IPC-S de 15 de fevereiro de 2021 variou 0,35%. Com este resultado, o indicador passou a acumular alta de 0,62% no ano e 5,22% nos últimos 12 meses. Cinco das sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.

O Indicador Antecedente Composto da Economia Brasileira (IACE), publicado em parceria entre a FGV IBRE e The Conference Board (TCB), recuou 1,0% para 122,5 pontos em janeiro de 2021. O Indicador Coincidente Composto da Economia Brasileira (ICCE), que mensura as condições econômicas atuais, avançou em 0,1% para 101,0 pontos, no mesmo período.

O IGP-M variou 2,29% no segundo decêndio de fevereiro, ante 2,37% no mesmo período do mês anterior. Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 25,46% para 28,64%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem do segundo decêndio de janeiro para o segundo decêndio de fevereiro: IPA, de 3,08% para 2,98%, IPC, de 0,42% para 0,29%, e INCC, de 0,97% para 1,00%. 

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 2,97% em fevereiro. No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 1,33%. Com este resultado, o índice acumula alta de 4,35% no ano e de 28,17% em 12 meses. Em fevereiro de 2020, o índice variará 0,01% no mês e acumulava elevação de 7,39% em 12 meses. Os três componentes do IGP-10 apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem de janeiro para fevereiro: IPA, de 1,60% para 3,90%, IPC, de 0,59% para 0,35%, e o INCC, de 0,76% para 0,98%.

Os resultados do Barômetros Globais da Economia refletem, em fevereiro, as dúvidas com relação à velocidade possível de recuperação da economia mundial no primeiro semestre de 2021 e uma grande heterogeneidade entre as regiões. O Barômetro Coincidente sobe com menor intensidade do que no mês anterior enquanto o Barômetro Antecedente recua e se aproxima do nível de neutralidade.

IPC-S de 07 de fevereiro de 2021 subiu 0,40%. Com este resultado, o indicador passou a acumular alta de 1,48% no ano e 2,49% nos últimos 12 meses. Todas as sete capitais pesquisadas registraram acréscimo em suas taxas de variação.

O IGP-M subiu 1,92% na primeira prévia de fevereiro. Em janeiro, no mesmo período de apuração, este índice havia registrado taxa de 1,89%. Com este resultado, a taxa em 12 meses passou de 24,87% para 28,17%. Os três componentes do IGP-M apresentaram as seguintes trajetórias, na passagem da primeira prévia de janeiro para a primeira prévia de fevereiro: IPA, de 2,42% para 2,54%, IPC, de 0,38% para 0,19%, e INCC, de 0,94% para 0,60%.