Quem Somos

Compartilhe

O IBRE

O Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) foi criado em 1951. É a unidade da Fundação Getulio Vargas (FGV) que tem por missão pesquisar, analisar, produzir e disseminar estatísticas macroeconômicas e pesquisas econômicas aplicadas, de alta qualidade, que sejam relevantes para o aperfeiçoamento das políticas públicas ou da ação privada na economia brasileira, estimulando o desenvolvimento econômico e o bem-estar social do país.

Desde a sua criação, o IBRE desenvolve estudos sócio econômicas, pesquisas, análises e diversos indicadores baseados no levantamento de dados econômicos, financeiros e empresariais. Entre as estatísticas econômicas produzidas pelo IBRE destacam-se os índices de preço e os indicadores de tendências e ciclos de negócio, de ampla utilização por estudiosos, analistas da economia brasileira e gestores na esfera pública e privada.

Econômica Aplicada

A Econômica Aplicada reúne pesquisadores do mais alto nível, cujos trabalhos e atuação em congressos, eventos e seminários reforçam o posicionamento da FGV como “think tank” das questões econômicas e sociais do país.

Produção Estatística

Mensalmente, a partir dos seus 28 escritórios (15 postos avançados e 13 escritórios), situados em todas as capitais brasileiras, o IBRE capta cerca de 300 mil preços de produtos e serviços e dados de natureza econômica, de mais de 19 mil informantes em todo o país. Para isso possui um quadro permanente de profissionais especializados na aplicação de ciências econômicas e sociais e de métodos estatísticos. São ofertados como bens públicos os indicadores e relatórios no nível mais sintético. No nível analítico e detalhado as informações são oferecidas como um serviço de banco de dados, acessado através de assinaturas (licenças de uso).

Consultoria

A experiência acumulada pelo IBRE na aplicação de pesquisas e apuração de indicadores disponibilizados ao grande público pode ser utilizada no desenvolvimento de pesquisas e indicadores customizados, para atendimento a necessidades específicas de entidades públicas e privadas, com benefícios significativos.

Para tal fim, o IBRE oferece consultoria aos clientes, compreendendo aplicação de pesquisas, estudos setoriais e projeções, suporte técnico para a especificação e uso de indicadores econômicos, além da produção regular de indicadores sob encomenda.

Publicações

Revista Conjuntura Econômica - O IBRE edita desde 1947 a revista Conjuntura Econômica, a mais antiga e influente publicação do gênero sobre economia do país. Com periodicidade mensal, tem circulação nacional.

Boletim Macro IBRE – produzido pelos pesquisadores do IBRE, sob a coordenação da área de Economia Aplicada, o Boletim Macro traz, mensalmente, projeções sobre a economia brasileira como PIB, inflação, mercado de trabalho, comercio exterior, taxa de juros, câmbio, entre outros.

Publicações IBRE – coordenadas pela equipe da Economia Aplicada, a série, iniciada em 2011, tem como objetivo difundir, através da publicação de livros, estudos e pesquisas relevantes para o cenário econômico, refletindo o papel do IBRE como um importante fórum de debates sobre o aperfeiçoamento das políticas públicas brasileiras.

Eventos

São realizados seminários pelo corpo técnico do IBRE com o objetivo de discutir e auxiliar na formulação de políticas públicas que estimulem o desenvolvimento econômico e o bem-estar social do país.

  • 1940
  • 1960
  • 1980
  • 2000
  • 2020
1940
  • 1947

    • Surge o slogan: "O petróleo é nosso". 
    • No governo do presidente Eurico Dutra o país esgota reservas de divisas (cerca de US$ 750 milhões) amealhadas durante a guerra. * Cruzeiro valorizado em relação ao dólar desestimula exportações e incentiva às importações. 
    • O Tribunal Superior Eleitoral cancela o registro eleitoral do Partido Comunista Brasileiro. 
    • Brasil rompe relações com a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). 
    • O surto de desenvolvimento econômico é chamado de “industrialização espontânea”. 
    • Nascida boletim, começa a circular em novembro a revista Conjuntura Econômica editada pelo Núcleo de Economia, embrião do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da Fundação Getulio Vargas. 
    • Criado o Índice Geral de Preços – IGP-DI, com cálculo retroativo a 1944. 

  • 1948

    • Criada a Organização dos Estados Americanos (OEA). 
    • Início da construção da Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso, inaugurada em 1954, e da ampliação e pavimentação da Rodovia Presidente Dutra, a Rio-São Paulo, aberta ao tráfego em 1950. 
    • Fundado o Estado de Israel. 
    • Fundada em Santiago, no Chile, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), vinculada a ONU. 
    • Lançado o Plano Salte (das iniciais de saúde, alimentação, transporte e energia) para gerenciar os gastos públicos e os investimentos nos setores essenciais, primeiro ensaio de planejamento econômico. 
    • Comissão Técnica Mista Brasil-Estados Unidos, co-presidida pelo representante brasileiro Octavio Gouvêa de Bulhões e pelo americano John Abbink, para diagnosticar os problemas e propor reformas à economia brasileira. 
    • Promulgada pela ONU a Declaração Universal dos Direitos do Homem. 
    • PIB de 9,7% e inflação de 5,9%

  • 1949

    • É criado o novo Índice do Custo de Vida, composto de 45 itens. 
    • Início do auto-financiamento nos serviços de eletricidade, telefone e gás. 
    • Proclamada a República Popular da China. Mao Tse-tung no poder. 
    • As exportações de café batem recordes, chegando a quase 20 milhões de sacas. 
    • PIB de 7,7% e inflação de 8,1%. 

  • 1950

    • Em março é feita a primeira divulgação do Índice de Custo da Construção, com retroação a janeiro de 1945.  
    • O índice do Custo da Construção Civil registra que a mão de obra operária quadruplicou no último decênio. 
    • Até 1949, o Índice Geral de Preços era calculado como média do Índice de Preços por Atacado e Índice do Custo de Vida do Rio de Janeiro, a partir desse ano passa a contar com mais um componente: o Índice de Custo da Construção no Rio de Janeiro. 
    • O Brasil tem 51,9 milhões de habitantes, dos quais dois terços vivem no campo. 
    • Entre 1945 e 1950, a capacidade instalada de geração de energia elétrica passou de 1.340 para 1.800 megawatts. 
    • Inaugurada a refinaria estatal de petróleo de Mataripe, na Bahia. 
    • Na eleição para presidente da República, Getúlio Vargas (PTB-PSP), com 48,7% dos votos, derrota o candidato da UDN, o brigadeiro Eduardo Gomes (29,7%), o do PSD, Cristiano Machado (21,4%), e o do PSB, João Mangabeira (0,2%). 
    • PIB de 6,8% e inflação de 12,4%. 

  • 1951

    • Nasce o IBRE - Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas, com Eugenio Gudin na presidência e Octavio Gouvêa de Bulhões, vice. 
    • Instituídas a Assessoria Econômica da Presidência da República e a Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI). 
    • Fundada a Comunidade Européia do Carvão e do Aço (Ceca), embrião do Mercado Comum Europeu. 
    • Encaminhado ao Congresso pelo governo o projeto de criação da Petrobras sem prever o monopólio estatal. 
    • PIB de 4,9% e inflação de 12,3%. 

  • 1952

    • Em fevereiro desse ano começam a ser publicados os índices paulistas. 
    • O salário mínimo, volta a ser aumentado por Vargas: de Cr$ 380 para Cr$ 1.200. 
    • Lançado o Plano de Reaparelhamento Econômico e um programa industrial com a formulação de várias políticas setoriais. 
    • Nasce o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDE) e o Instituto Brasileiro do Café (IBC). 
    • Surge o Fundo Nacional de Eletrificação e é proposta a criação da Eletrobrás. 
    • Limitadas a 10% do capital investido a remessa de lucros das empresas estrangeiras. 
    • PIB de 7,3% e inflação de 12,7%. 

  • 1953

    • O gaúcho João Goulart, o Jango, presidente do PTB e deputado, assume o Ministério do Trabalho e promete dobrar o salário mínimo. 
    • Oswaldo Aranha no Ministério da Fazenda, em lugar de Horácio Lafer, adota nova política cambial, comprimindo as importações e estimulando a produção interna. 
    • Criada a Petrobrás, detendo o monopólio da produção e da prospecção de petróleo. 
    • Surge a Carteira de Comércio Exterior (Cacex) do Banco do Brasil. 
    • PIB de 4,7% e inflação de 20,6%. 

  • 1954

    • Jango pede demissão do Ministério do Trabalho. 
    • Inaugurada a refinaria de Cubatão (São Paulo), da Petrobras, e meses depois a de Manguinhos (RJ), da iniciativa privada. 
    • Vargas dobra o salário mínimo no dia 1º de Maio: de Cr$ 1.200 para Cr$ 2.400. 
    • O governo dos Estados Unidos boicota a importação do café brasileiro, diante da elevação do preço mínimo. 
    • Atentado contra o jornalista Lacerda praticado por pistoleiros contratados pela guarda pessoal do presidente, no qual morre o major Rubens Vaz, da Aeronáutica. 
    • É pedida por 30 generais, entre os quais Castello Branco, a renúncia de Vargas. 
    • Getúlio suicida-se com um tiro no coração no Palácio do Catete. 
    • Assume a presidência o vice Café Filho. 
    • Eugênio Gudin é nomeado ministro da Fazenda em fins de agosto. Corta despesas públicas e institui o desconto do imposto de renda na folha de pagamentos dos assalariados. Em setembro, para enfrentar a crise cambial, obtém empréstimos de US$ 200 milhões junto a 19 bancos americanos. Em outubro, limita o crédito. 
    • PIB de 7,8% e inflação de 25,8%. 
     

  • 1955

    • O índice de preços por atacado que até então compreendia apenas 25 produtos, passa a ter 90 produtos incluídos. 
    • O PSD lança, em fevereiro, a candidatura à presidência de Juscelino Kubitschek que promete construir Brasília. 
    • Entra em operação a primeira grande usina hidrelétrica do Nordeste, a de Paulo Afonso, no Rio São Francisco. 
    • Gudin deixa o Ministério da Fazenda para José Maria Whitaker. 
    • Juscelino Kubitschek (PSD-PTB) é eleito presidente da República com cerca de três milhões de votos, derrotando o general Juarez Távora (UDN) que obtém 2,6 milhões. Jango, candidato na chapa de JK, elege-se vice com 3,6 milhões de votos — votava-se separadamente para os candidatos aos dois cargos. 
    • O general Henrique Teixeira Lott afasta o presidente da Câmara, Carlos Luz, que assumira a presidência da República no impedimento de Café Filho, alegando que este mantinha ligações com a corrente golpista liderada por Lacerda favorável a impedir a posse de JK por não ter alcançado maioria absoluta. Assume o presidente do Senado Nereu Ramos. Lacerda consegue asilo na embaixada de Cuba. 
    • PIB de 8,8% e inflação de 12,2%

  • 1956

    • JK assume a presidência com discurso desenvolvimentista. Lança o Plano Nacional de Desenvolvimento, ou Programa de Metas, baseado na tolerância inflacionária, na intervenção estatal na economia, na captação de recursos externos e para atender os setores de alimentação, educação, indústria de base, energia e transporte. 
    • Tem início os estudos para a construção pela Petrobrás de uma refinaria em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, inaugurada em 1961. 
    • Começa a construção de Brasília. 
    • Criado o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA). 
    • A Mercedes-Benz inaugura fábrica de caminhões, em São Bernardo do Campo (SP). 
    • Tem início as obras para a construção da barragem de Três Marias, Minas Gerais. 
    • PIB de 2,9% e inflação de 24,5%. 

  • 1957

    • Assinados pelos governos da Alemanha Ocidental, Itália, Bélgica, França, Holanda e Luxemburgo os Tratados de Roma, dando origem a Comunidade Econômica Européia. 
    • Sai da fábrica da Volkswagen a primeira Kombi produzida no Brasil com 50% de peças nacionais. 
    • Greve geral em São Paulo por 10 dias: 400 mil trabalhadores cruzam os braços. 
    • PIB de 7,7% e inflação de 7%. 

  • 1958

    • São apresentadas modificações no Índice do Custo de Vida, como a substituição desde o ano base, da série referente aos aluguéis, até a modificação da ponderação e introdução de novos itens. 
    • Começa a construção da estrada Belém-Brasília. 
    • Lucas Lopes no Ministério da Fazenda para cortar gastos e controlar a inflação. 
    • Chega às ruas o DKW-Vemag, o primeiro carro de passeio montado no Brasil. 
    • Inaugurado o Palácio da Alvorada, em Brasília. 
    • PIB de 10,8% e inflação de 24,4%. 

  • 1959

    • O salário mínimo alcança Cr$ 6 mil. 
    • Em Cuba, Fidel Castro toma o poder em janeiro e, em maio, visita o Brasil. 
    • JK anuncia o rompimento com o FMI. 
    • No Rio Grande do Sul, nacionalizada concessionária americana de energia elétrica pelo governador Leonel Brizola. 
    • A linha de montagem da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) é inaugurada por Juscelino. Circula o primeiro Fusca produzido no Brasil. 
    • Começa a operar a ponte-aérea Rio-São Paulo. 
    • Tem início a Guerra do Vietnã, confrontando o Sul, apoiado pelos EUA, ao Norte, sob influência comunista. 
    • É criada a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), inspiração do economista Celso Furtado, que no mesmo ano publica Formação Econômica do Brasil. 
    • PIB de 9,8% e inflação de 39,4%.

1960
  • 1960

    • Em visita ao Brasil, Dwight Eisenhower, presidente dos EUA, acerta com JK o reinício das negociações do país com o FMI.
    • Brasília é inaugurada em 21 de abril no Planalto Central. 
    • Jânio Quadros (PR-UDN) elege-se presidente da República com cerca de 5,6 milhões de votos (48%), derrotando o general Lott (PTB-PSD), com 3,8 milhões de votos (28%). Goulart, da chapa de Lott, é de novo vice com 4,5 milhões de votos.
    • Eleitores de Jânio cantam: “Varre, varre, vassourinha./Varre, varre a bandalheira.”
    • Criada pela Arábia Saudita, Irã, Iraque, Kuwait e Venezuela a Organização dos Países Exportadores e Petróleo (OPEP). O preço do barril: US$ 1,50.
    • Fidel confisca as refinarias de petróleo americanas.
    • John Kennedy é eleito presidente dos EUA.
    • PIB de 9,4% e inflação de 30,5%.

  • 1961

    • Jânio toma posse com discurso moralista. 
    • Os EUA rompem com Cuba. 
    • John Kenneky assume a presidência dos EUA em janeiro e, em março, lança a Aliança para o Progresso, para financiar reformas sociais na América Latina.
    • O banqueiro Clemente Mariani assume o Ministério da Fazenda.
    • O cruzeiro é desvalorizado — de Cr$ 90, um dólar chega a Cr$ 200.
    • Exilados cubanos tentam invadir Cuba pela Baía dos Porcos. São derrotados.
    • Produzido o primeiro circuito integrado de computador.
    • A Alemanha Oriental começa a erguer o Muro de Berlim.
    • Em agosto, Jânio renuncia. Os ministros militares são contra a posse de Goulart — estava em Cingapura, após visita a China. O III Exército, no Rio Grande do Sul, adere à campanha da legalidade liderada pelo governador Leonel Brizola, cunhado de Jango, defendendo a posse do vice. 
    • Congresso aprova emenda que institui o parlamentarismo, aceita por Goulart, que assume a presidência tendo Tancredo Neves (PSD) como primeiro-ministro. 
    • PIB de 8,6% e inflação de 47,8%.

  • 1962

    • Foi assinado o contrato com o Usda, United States Department of Agriculture, projeto de escala mundial com a participação do Centro de Estudos Agrícolas, do IBRE.
    • Forma-se a Zona de Livre Comércio, instituída pela Associação Latino-Americana de Livre Comércio (ALALC).
    • Nasce o Comando Geral dos Trabalhadores (CGT).
    • Tancredo renúncia ao cargo para concorrer ao governo de Minas (foi derrotado pelo udenista Magalhães Pinto), sendo substituído pelo jurista gaúcho Brochado da Rocha (PSD), que permanece no posto até setembro, quando entra em seu lugar Hermes Lima (PSB), último premier.
    • Instalada a Eletrobrás.  
    • Instituído o 13º salário.
    • Deixa o Ministério da Fazenda o banqueiro Walter Moreira Salles, sendo substituído pelo também banqueiro Miguel Calmon.
    • Criado o Ministério do Planejamento, sob o comando de Celso Furtado.
    • Nasce a Superintendência Nacional de Abastecimento (Sunab) em substituição à Comissão Federal de Abastecimento e Preço (Cofap).
    • Governo reajusta o salário mínimo em 50%. Sindicatos exigiam 80%.
    • EUA impõem, em agosto, o bloqueio econômico a Cuba.
    • Em outubro, americanos descobrem mísseis soviéticos em Cuba. Foguetes são retirados pela União Soviética. EUA se comprometem a não invadir a ilha.
    • Brasil reata relações diplomáticas com a União Soviética.
    • Cuba é expulsa da OEA por adotar um regime incompatível com o democrático — o Brasil se abstém de votar. 
    • Eleições parlamentares: o PTB torna-se o maior partido da Câmara.
    • Lançado o Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social, elaborado por Celso Furtado, para controlar o déficit público, conter a inflação e promover o crescimento real da economia, estabelecendo as reformas de base nas estruturas educacional, agrária, fiscal, bancária.
    • PIB de 6,6% e inflação de 51,6%.

  • 1963

    • Em janeiro, 80% dos eleitores aprovam em plebiscito a volta do regime presidencialista.
    • San Thiago Dantas assume o Ministério da Fazenda do presidencialismo, mas depois de seis meses, em junho, cede o lugar a Carvalho Pinto, que, em dezembro, passa o cargo a Ney Galvão.
    • O Plano Trienal fracassa por não reduzir a inflação.
    • Previdência Social aos trabalhadores rurais e 13º para os funcionários públicos.
    • A Petrobrás passa a ter o monopólio para importação de petróleo.
    • Lacerda advoga golpe militar contra Jango.
    • O general Castello Branco comanda o Estado Maior do Exército.
    • John Kennedy é assassinado em Dallas, sendo substituído pelo vice Lyndon Johnson.
    • PIB de 0,6% e inflação de 79,9%. 

  • 1964

    • O IGP-DI ganhou mais relevância tornou mais intenso com a instituição da correção monetária.
    • Em comício numa sexta-feira 13 (de março), em frente a Central do Brasil, no Rio, perante 300 mil pessoas, Goulart decreta a estatização de refinarias particulares de petróleo e a desapropriação das terras às margens de rodovias, ferrovias e obras públicas para fins de reforma agrária exigida “na lei ou na marra”.
    • Em São Paulo, cerca de 400 mil pessoas na Marcha da Família com Deus pela Liberdade.
    • Juscelino é lançado candidato à presidência pelo PSD, em 1965.
    • Começa a rebelião dos marinheiros.
    • No dia 30 de março, Jango discursa no Automóvel Clube, no Rio, durante assembléia de sargentos, soldados e marinheiros.
    • O general Mourão Filho, comandante da 4ª Região Militar (Juiz de Fora, Minas), rebela-se e comanda a sua tropa em direção ao Rio.
    • Goulart refugia-se no Rio Grande do Sul, fugindo depois para o Uruguai.  
    • Decretado o Ato Institucional (AI). São cassados 40 mandatos.
    • O Congresso elege indiretamente, em abril, o general Castello Branco à presidência — José Maria de Alkmin (PSD), ex-ministro da Fazenda de JK, é o vice —, para exercer o poder até 31 de janeiro de 1966, quando seria empossado seu sucessor a ser eleito pelo sufrágio popular. Está nas ruas a campanha JK-65.
    • O senador Juscelino Kubitschek (GO-PSD) tem o mandato cassado por 10 anos.
    • Congresso prorroga, em julho, o mandato de Castello até 1967. 
    • O jornal Correio da Manhã denuncia torturas.
    • Octavio Gouvêa de Bulhões e Roberto Campos assumem, respectivamente, os ministérios da Fazenda e do Planejamento.
    • Lançado o Plano de Ação Econômica do Governo (PAEG), para conter a inflação e promover o crescimento econômico, criando as bases do futuro “milagre”.
    • Sancionada nova lei de remessa de lucros. Surge o Banco Nacional da Habitação. Instituída a correção monetária.
    • Criado o Banco Central do Brasil em substituição a Superintendência da Moeda e do Crédito (Sumoc), instituída em 1945 para exercer o controle monetário.
    • PIB de 3,4% e inflação de 92,1%.

  • 1965

    • Em abril são modificados os critérios de cálculo do índice do custo de vida, calculado pelo IBRE.
    • O governo obtém um crédito de US$ 125 milhões do FMI.
    • Lacerda pede o fim do PAEG e as demissões de Bulhões e Roberto Campos.
    • Controle de preços sistemático sobre a indústria através da Comissão Nacional de Estímulo à Estabilização de Preços (Conep), um departamento da Sunab.
    • A oposição elege dois governadores: Negrão de Lima, na Guanabara, e Israel Pinheiro, Minas Gerais — políticos do PSD e ex-colaboradores de JK.
    • Baixado o AI-2: eleição indireta (pelo Congresso) para presidente e fim dos partidos — surge o bipartidarismo, com a situacionista Aliança Renovadora Nacional (Arena) e o oposicionista Movimento Democrático Brasileiro (MDB).
    • Adota-se “a inflação corretiva” com aumentos nos preços artificialmente represados — tarifas públicas, câmbio, trigo, gasolina e outros produtos.
    • PIB de 2,4% e inflação de 34,3%. 
     

  • 1966

    • É criada dentro do IBRE a EPGE - Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas, que mais tarde transformou-se em unidade autônoma.
    • Criada a Sondagem da Indústria, com periodicidade trimestral - Primeira pesquisa do gênero na América Latina. 
    • As eleições para governadores passam a ser pelas assembléias legislativas estaduais.
    • Em julho, Costa e Silva sofre atentado a bomba em Recife e, em outubro, é eleito indiretamente pelo Congresso presidente da República, tendo como vice o udenista mineiro Pedro Aleixo. O MDB se abstém de votar.
    • Unificação da Previdência (INPS). 
    • Criação de um mercado para títulos da dívida pública (com a introdução da correção monetária). 
    • Fim da estabilidade no emprego após 10 anos de trabalho (substituída pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). 
    • Lançamento das cadernetas de poupança e do financiamento da casa própria. 
    • PIB de 6,7% e inflação de 39,1%.

  • 1967

    • Nova Constituição é promulgada.
    • O cruzeiro (Cr$) perde três zeros para dar lugar a outra moeda, o cruzeiro novo (NCr$) —Cr$ 1.000 vale NCr$ 1.
    • O general Costa e Silva assume a presidência da República. 
    • Delfim Netto ocupa o Ministério da Fazenda.
    • Lançado o Programa Estratégico do Desenvolvimento, com a finalidade de resolver os problemas relacionados com a estrutura e o financiamento da comercialização de alimentos e a eliminar os principais pontos de estrangulamento da infra-estrutura, da produção industrial e do mercado interno.
    • Lacerda, Juscelino e Goulart criam a Frente Ampla.
    • Guerra dos Seis Dias no Oriente Médio.
    • Na Bolívia, Guevara é preso e morto pelo Exército.
    • Os manufaturados produzidos para exportação ganham isenção de impostos.
    • “Exportar é a solução” domina o discurso na área econômica.
    • PIB de 4,2% e inflação de 25%.

  • 1968

    • A Marinha cria um centro de estudo de computadores.
    • No Rio de Janeiro, "Passeata dos 100 mil" contra a ditadura.
    • Criado o Conselho Interministerial de Preços (CIP).
    • O jornal Correio da Manhã denuncia o caso Para-Sar.
    • Em discurso na Câmara, o deputado Márcio Moreira Alves (MDB-GB) indaga: “Quando o Exército não será um valhacouto de torturadores?”. 
    Um derrame incapacita Oliveira Salazar, há 42 anos no poder em Portugal.
    • Cai o Congresso da UNE, em Ibiúna (SP). São presos cerca de 900 estudantes, entre os quais José Dirceu.
    • O governo pede e a Câmara nega licença para processar o deputado Moreira Alves. 
    • Os americanos elegem Richard Nixon presidente.
    • Um computador com teclado e mouse é apresentado nos EUA.
    • Promulgado o Ato Institucional nº 5 que dá poderes excepcionais ao governo. JK e Lacerda, entre centenas de pessoas, são presos. O Congresso é fechado.
    • Começa o “milagre econômico”: 
    • PIB de 9,8% e inflação 25,4%.

  • 1969

    • Criado um novo Índice de Preços por Atacado.
    • Os Índices de Preços Agrícolas passam a ser divulgados na Conjuntura Econômica.
    • Três ministros do STF, um do STM e 39 parlamentares são cassados.
    • Em Itaboraí (RJ), inaugurada estação de satélite da Embratel.
    • A economia crescerá 10% ao ano, promete o ministro Delfim Netto.
    • Fundado o Cebrap por professores expulsos da USP, entre os quais Fernando Henrique Cardoso.
    • Derrame incapacita Costa e Silva de exercer a presidência. Os militares ignoram o vice Pedro Aleixo e uma Junta Militar, formada pelos ministros das Forças Armadas, passa a governar.
    • A emenda constitucional nº 1 reescreve a Constituição de 1967 e cria, por exemplo, a figura do decurso de prazo para os decretos-lei — se o decreto encaminhado pelo governo ao Congresso não for votado em 45 dias, entra automaticamente em vigor. 
    • Charles Elbrick, embaixador dos EUA, é seqüestrado. Para libertá-lo, o governo concorda em enviar para o exílio 15 presos políticos, entre os quais José Dirceu.
    • O governo decreta a Lei de Segurança Nacional.
    • O general Médici é escolhido pelo Alto Comando do Exército candidato à presidência, em setembro, e eleito pelo Congresso (reaberto), em outubro, para mandato de cinco anos.
    • Morre Costa e Silva.
    • PIB de 9,5% e inflação de 19,3%.

    1970 |
    • O Índice de Preços por Atacado passa a ter novas ponderações.
    • A Bolsa de Valores do Rio de Janeiro bate recorde de volume de transações negociando Cr$ 24 milhões num só dia. 
    • O Brasil obtém o maior empréstimo concedido até então pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a países da América Latina: US$ 66,5 milhões para o complexo hidrelétrico de ilha Solteira. 
    • Mario Henrique Simonsen assume a presidência da recém-criada Fundação Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral). 
    • O governo anuncia a construção da estrada Transamazônica.
    • Surge a expressão “ninguém segura este país”.
    • O FMI informa que o Brasil é o primeiro país latino-americano a ultrapassar a cifra de US$ 1 bilhão em suas reservas de moedas fortes. 
    • Seqüestrados os embaixadores alemão e suíço, trocados, respectivamente, por 40 e 70 presos políticos.
    • PIB de 10,4% e inflação de 19,3%. 

  • 1971

    • As novas ponderações do IPA, implementadas um ano antes, são republicadas na Revista Conjuntura Econômica.
    • O Banco Mundial aprova empréstimos de US$ 96 milhões — o Brasil torna-se o maior cliente da instituição, atingindo um montante de compromissos de US$ 1,014 bilhão. 
    • Populariza-se a expressão “milagre brasileiro” para o desempenho da economia.
    • O deputado Ulysses Guimarães assume a presidência do MDB.
    • Passado o primeiro e-mail nos EUA.
    • Uma equipe americana de tênis de mesa vai jogar na China.
    • Moradores de sete capitais já usam o telefone para discagem direta à distância. 
    • O governo americano desatrela o dólar do padrão ouro.  
    • PIB de 11,3% e inflação de 19,5%.

  • 1972

    • Custo de Vida e de construção na Guanabara é reformulado.
    • Nixon visita a China.
    • Em discurso, o presidente Médici diz: "A economia vai bem, mas o povo vai mal". 
    • Surge a teoria do "crescimento do bolo" para depois distribuir. 
    • Inaugurada a maior refinaria de petróleo do Brasil, em Paulínia (SP), pelos presidentes da República, Médici, e o da Petrobrás, Ernesto Geisel.
    • Presos “grampeadores” do comitê do Partido Democrata no edifício Watergate, em Washington.
    • Lançado o I Plano Nacional de Desenvolvimento.
    • Nixon é reeleito presidente dos EUA.
    • Aparecem adesivos com dizeres “Brasil: ame-o ou deixe-o”.
    • PIB de 11,9% e inflação de 15,7%. 

  • 1973

    • Começam no Senado dos EUA as investigações do caso Watergate.
    • Anunciada a construção da usina hidrelétrica de Itaipu.
    • Geisel é o candidato da Arena à presidência.
    • O MDB lança anticandidato à eleição presidencial: Ulysses Guimarães.
    • Golpe militar no Chile termina com a morte do presidente socialista Salvador Allende e a ascensão do general Augusto Pinochet.
    • Israel derrota as tropas invasoras da Síria e do Egito. Em represália, países árabes decretam um boicote de petróleo aos aliados de Israel. O preço do barril salta de US$ 2,90 para US$ 11,65. 
    • Criada a Siderbrás.
    • PIB de 13,9% e inflação de 15,6%.

  • 1974

    • Índice de preços ao consumidor na Guanabara é reformulado novamente.
    • Inauguração do curso de doutorado da EPGE – Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas.
    • Aberta ao tráfego a Ponte Rio-Niterói.
    • O general Ernesto Geisel deixa a presidência da Petrobrás e, eleito pelo Congresso, assume a da República. Promete distensão lenta, gradual e segura. 
    • Sai Delfim Netto, entra Mario Henrique Simonsen no Ministério da Fazenda. 
    • Lançado o II Plano Nacional de Desenvolvimento que prioriza investimentos em energia, para reduzir a dependência externa, nas indústrias e em infra-estrutura.
    • O general Sylvio Frota torna-se ministro do Exército com o falecimento do general Dale Coutinho. 
    • Surge o “petrodólar”, graças ao aumento da receita obtida pelos países da OPEP. 
    • A Petrobrás descobre petróleo na bacia de Campos (RJ).
    • Fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro.
    • Brasil reata relações com a China.
    • O vice Gerald Ford é o novo presidente dos EUA com a renúncia de Nixon envolvido no caso Watergate.
    • Surge a Nuclebrás.
    • O MDB ganha as eleições legislativas: conquistou 72,75% dos votos. 
    • PIB de 8,1% e inflação de 26,9%.

  • 1975

    • Índices de custo de construção na cidade do Rio de Janeiro sofre nova reformulação.
    • Tem início a construção de Itaipu.
    • Fundada a Microsoft.
    • Os americanos deixam o Vietnã. 
    • Criado o Programa Nacional do Álcool (Proálcool) para incentivar a produção e a utilização do álcool combustível como substituto da gasolina.
    • Restringidas as importações, em especial a de computadores — é a chamada “reserva de mercado”, para atender a nascente indústria nacional de informática.
    • Assinado o acordo nuclear com a Alemanha.
    • Firmados contratos de risco entre a Petrobrás e empresas estrangeiras para a prospecção de petróleo.
    • PIB de 5,1% e inflação de 29,3%.

  • 1976

    • Índices de Preços por Atacado passa a ter novas ponderações.
    • Criado o Grupo de Informação Agrícola.
    • O general Ednardo D’Avila Mello, comandante do II Exército, onde morreram o jornalista Vladimir Herzog e o operário Manoel Fiel, é demitido pelo presidente Geisel. Assume o general Dilermando Gomes Monteiro.
    • A Apple Computers já tem o primeiro computador pessoal.
    • Governo cria conselho e altera a legislação para dar concessão à fabricação de computadores no Brasil.
    • BNDES anuncia plano de desestatização.
    • Em acidente na rodovia Rio-São Paulo, morre JK.
    • Termina a Guerra do Vietnã.
    • Para viajar ao exterior, brasileiro é obrigado a fazer um depósito prévio de Cr$ 12 mil — o dinheiro fica retido por um ano.
    • Na China, Mão Tse-tung morre.
    • O democrata Jimmy Carter é eleito presidente dos EUA.
    • Em dezembro, na Argentina, morre Goulart, o único ex-presidente a falecer no exílio.
    • PIB de 4,9% e inflação de 38,8%.

  • 1977

    • É introduzida na metodologia dos Índices de Preços ao Consumidor, uma fórmula nova de cálculo para o grupo Alimentação.
    • As fontes de ponderações aos Índices Agrícolas passam a ser o Censo de 1970.
    • Nos EUA, começam as discussões na internet via e-mail.
    • Lacerda morre.
    • Governo rompe o acordo militar com os EUA que divulgara relatório sobre a situação dos direitos humanos no país.
    • Fechado o Congresso e baixado o “Pacote de Abril”, que mantém as eleições indiretas para governadores, cria o “senador biônico” e passa de quatro para seis anos o mandato do futuro presidente da República. 
    • Greves dos metalúrgicos em São Paulo, liderada por Luiz Inácio Lula da Silva, para reivindicar reajuste salarial. 
    • Frota é demitido do ministério do Exército. Entra o general Fernando Bethlem.
    • PIB de 4,9% e inflação de 38,8%.

  • 1978

    • No ABC paulista são firmados 166 acordos entre sindicatos e empresas, beneficiando 260 mil trabalhadores. Destaca-se a liderança do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema, Luís Inácio da Silva, mais conhecido como Lula, apelido depois incorporado ao nome. 
    • Proibidas as greves em setores considerados estratégicos para a segurança nacional, entre os quais o de energia.
    • Em outubro, nas eleições indiretas para presidente da República no Congresso, o general João Baptista Figueiredo (Arena) recebe 355 votos contra 266 dados ao general Euler Bentes (MDB). E em novembro, nas legislativas, os candidatos da Arena ao Senado conseguem 13,1 milhões de votos e os do MDB, 17,4 milhões; e para a Câmara, respectivamente, 15 milhões e 14,8 milhões.
    • Revogado o Ato Institucional nº 5 e restaurado o habeas-corpus.
    • PIB de 4,9% e inflação de 40,7%.

  • 1979

    • Lançada a Carta do IBRE, com o objetivo de oferecer, mensalmente, uma análise econômica.
    • Criado o Centro de Estudos Monetários e de Economia Internacional.
    • Decidida a estatização em 28 dezembro do ano anterior, em janeiro o governo compra a Light, adquirindo da holding canadense Brascan sua participação na empresa (83% das ações) por US$ 436 milhões. 
    • O general Figueiredo toma posse na presidência da República e promete manter a abertura política. No ministério, destacam-se Karlos Rischbieter, na Fazenda; Mario Henrique Simonsen, no Planejamento; Delfim Netto, na Agricultura; e Petrônio Portela, na Justiça.
    • Lei da Anistia. Volta o pluripartidarismo. 
    • Rischbieter deixa a Fazenda para Ernane Galvêas. No Planejamento, sai Simonsen e entra Delfim.
    • PIB de 6,76% e inflação de 77,3%.

1980
  • 1980

    • A inflação anual é prefixada em 45% pelo governo. 
    • Emenda constitucional aprovada pelo Congresso restabelece eleições diretas para governador e acaba com a figura dos senadores nomeados.
    • Metalúrgicos do ABC e de mais 15 cidades do interior de São Paulo, cruzam os braços e exigem aumento salarial. Presos e enquadrados na Lei de Segurança Nacional 13 líderes sindicais, entre eles Lula. 
    • PIB de 9,2% e inflação de 110%.

  • 1981

    • Uma bomba explode em um carro ocupado por dois militares no estacionamento do Rio Centro, quando era realizado um show comemorativo pelo Dia do Trabalhador. 
    • Golbery deixa o Gabinete Civil.
    • O vice Aureliano Chaves assume a Presidência, em virtude do enfarte do presidente Figueiredo.
    • Sindicalistas reúnem-se na 1ª Conferência das Classes Trabalhadoras (Conclat) e formam comissão para constituir a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
    • PIB de –4,25% e inflação de 95,2%.

  • 1982

    • O Brasil perde reservas e negocia saídas com os bancos credores e o FMI. 
    • Delfim Netto obtém empréstimo de US$ 4,4 bilhões junto ao FMI, a ser repassado em quatro parcelas — apenas duas são desembolsadas.
    • Proibida pelo governo as coligações partidárias e estabelecida a vinculação de voto. 
    • As oposições totalizam 25 milhões de votos para governadores, enquanto o PDS conquista 18 milhões. 
    • PIB de 0,83% e inflação de 99,72%.

  • 1983

    • Em janeiro, o ministro Galvêas assina carta de intenções com o FMI com metas trimestrais. Em fevereiro, maxidesvalorização de 30% do cruzeiro em relação ao dólar e nova versão da carta de intenções.
    • Banco Central decide promover a igualdade entre as correções monetária e cambial e a taxa da inflação medida pelo IGP-DI no quadrimestre de março a junho.
    • Firmado novo acordo stand-by com o FMI de US$ 5,7 bilhões, dos quais US$ 3,7 bilhões são sacados pelo país.
    • Fundada a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
    • Começa a campanha Diretas-Já. Comício no Rio reúne cerca de um milhão de pessoas, e São Paulo, 1,7 milhão. 
    • PIB de –2,93% e inflação de 210,99%.

  • 1984

    • Em outubro o Índice de Preços por Atacado sofre alterações nas fórmulas até então praticadas.
    • A Câmara não aprova a emenda das eleições diretas para presidente. 
    • Negociado novo acordo EFF (Extended Fund Facility, Crédito Ampliado) com o FMI de US$ 5,5 bilhões — metade chega ao país.
    • Em Carta de Intenções ao FMI, o governo comunica que a correção monetária será igual ou maior que o IGP-DI expurgado.
    • PIB de 5,4% e inflação de 223,8%.

  • 1985

    • Alteração no cálculo do IGP: a partir de fevereiro de 1985 o Índice Geral de Preços passa a ter na sua composição o Índice Nacional da Construção Civil, no lugar do Índice de Custo da Construção Civil na cidade do Rio de Janeiro.
    • Com 480 votos a favor e 180 contra, o governador de Minas Gerais, Tancredo Neves (PMDB), é eleito pelo Congresso presidente da República, derrotando o governista Paulo Maluf (PDS). O PT se abstém de votar.
    • Fundado o Partido da Frente Liberal.
    • O Movimento dos Trabalhadores Sem-terra (MST) promove seu primeiro Congresso Nacional, em Curitiba.
    • Em 14 de março, um dia antes de tomar posse, Tancredo é internado no Hospital de Base, em Brasília. O vice José Sarney (PFL) assume a presidência em 15 de março. 
    • Tancredo, 75 anos, morre em 21 de abril.
    • Mikhail Gorbatchov assume o poder na URSS e lança a perestroika (reestruturação econômica) e a glasnost (abertura política). 
    • Emenda constitucional aprovada pelo Congresso estende o voto aos analfabetos, legaliza os partidos comunistas e promove eleições diretas para prefeitos das capitais e para presidente.
    • Na Fazenda, sai Francisco Dornelles, entra Dílson Funaro.
    • Eleições municipais: em São Paulo, Jânio Quadros (PTB) derrota Fernando Henrique Cardoso (PMDB).
    • PIB de 7,85% e inflação de 235,1%.

  • 1986

    • Em janeiro desse ano o INCC passa a ser calculado com a atualização de itens e ponderações. É também expandido o número de localidades de cobertura, passando de 8 para 16 municípios e capitais brasileiras.
    • O IBRE perde para o IBGE duas funções oficiais: o levantamento das contas nacionais, do PIB e da renda nacional, e a apuração dos índices de preço (inflação), mas mantém a credibilidade e neutralidade junto ao mercado e à opinião pública de um modo geral.
    • Em abril desse ano houve um aumento do número de produtos do IPA, passando de 325 para 423, com base no censo do IBGE de 1985.
    • Em fevereiro, o ministro Funaro lança o Plano Cruzado I que congela preços e salários por um ano e acaba com a correção monetária, além de trocar a moeda de cruzeiro (Cr$) para cruzado (Cz$), cortando três zeros. Surgem os “fiscais do Sarney”.
    • O PMDB ganha as eleições, conquistando o governo em 22 dos 23 estados.
    • Cinco dias depois do pleito, lançado o Plano Cruzado II, que, entre outras iniciativas, libera os preços dos produtos e serviços e altera o cálculo da inflação, que passaria a ter como base os gastos das famílias com renda de até cinco salários mínimos.
    • PIB de 7,49% e inflação de 65,3%.

  • 1987

    • Em fevereiro, o governo suspende os pagamentos da dívida externa. 
    • Começam os trabalhos da quinta Assembléia Nacional Constituinte.
    • Luís Carlos Bresser-Pereira substitui Funaro na Fazenda e lança o Plano Bresser, que congela preços, salários e alugueis por 90 dias, além de aumentar tributos, eliminar subsídios (do trigo, por exemplo) e suspende grandes obras (Ferrovia Norte-Sul). Prevista a flexibilização, depois desse período, com reajustes de preços e salários mensalmente. O indexador salarial será a Unidade de Referência de Preços (URP).
    • Lula é lançado candidato à presidência da República pelo PT.
    • PIB de 3,53% e inflação de 415,83%.

  • 1988

    • Bresser é substituído por Maílson da Nóbrega no Ministério da Fazenda que anuncia uma política econômica denominada “feijão com arroz”.
    • Surge o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). 
    • Aberto crédito de US$ 1,4 bilhão pelo FMI — o Brasil recebe US$ 477 milhões.
    • Assembléia Constituinte promulga a nova Constituição. 
    • Três operários morrem durante a invasão por tropas do Exército da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda, para reprimir uma greve.
    • Nas eleições municipais, o PMDB perde dois terços do eleitorado e o PT e o PDT conquistam as principais capitais.
    • PIB de –0,06% e inflação de 1.037,56%.

  • 1989

    • Em janeiro, Maílson anuncia o Plano Verão: cria o Cruzado Novo (NCz$), que vem sem três zeros; congela preços; extingue a correção monetária; e propõe privatização de estatais e cortes nos gastos públicos.
    • Queda do Muro de Berlim, um dos símbolos da Guerra Fria entre EUA e URSS, dá início à reunificação da Alemanha.
    • Na primeira eleição direta à presidência da República após a ditadura militar, Fernando Collor de Mello (PRN) derrota, com 53,03% dos votos contra 46,97%, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno. 
    • PIB de 3,16% e inflação de 1.782,89%.
    • Em maio foi iniciado o cálculo do IGP, na versão M (IGP-M), para atender as necessidades do mercado, com o cálculo entre 21 do mês anterior e 20 do mês corrente e divulgação no penúltimo dia útil do mês.

  • 1990

    • A partir de janeiro de 1990, o Índice de Preços ao consumidor passa a registrar as variações de preços observadas nas cidades do Rio de Janeiro e SP.
    • O novo índice é denominado IPC-Brasil e apresenta uma estrutura de pesos extraída de pesquisa de orçamentos familiares, recém – concluída para uma população-objetivo com rendimentos mensais entre 1 e 33 salários mínimos.
    • Iniciou-se a série histórica do IPC-BR-DI, cobrindo os municípios do Rio de Janeiro e São Paulo. Esse índice passou a ser o representante do varejo, com peso de 30% na composição do IGP-DI.
    • Um dia após ser empossado, em 15 de março, o novo presidente anuncia o Plano Brasil Novo (ou Collor), engendrado pela equipe da ministra Zélia Cardoso de Mello, da Fazenda: sai o cruzado novo (NCr$) e volta o cruzeiro (Cr$); bloqueio por 18 meses dos depósitos em contas correntes e cadernetas de poupança superiores a 50 mil cruzados novos; novo congelamento de preços e salários; e fim de subsídios e incentivos fiscais. 
    •  Guerra do Golfo. 
    • Extinto o Conselho Interministerial de Preços (CIP).
    •  Lançado o Programa Nacional de Desestatização.
    •  PIB de –4,35% e inflação de 1.476,71%.

  • 1991

    • Lançado o Plano Collor 2. Novo congelamento de preços e salários. Sobem os juros. Tarifas de importação são reduzidas. Taxa Referencial de Juros (TR) no lugar da BTN.
    • Primeiras denúncias de corrupção no governo.
    • Dissolução da União Soviética.
    • O Código de Defesa do Consumidor passa a vigorar.
    • Na Fazenda, sai Zélia e entra Marcílio Marques Moreira.
    • Fim da Guerra do Golfo.
    • Suspeitas de malversação de dinheiro público envolvem ministros, altos funcionários e a primeira-dama Rosane Collor.
    • PIB de 1,03% e inflação de 480,23%.

  • 1992

    • Marcílio assina carta de intenção com o FMI, obtendo empréstimo de US$ 2 bilhões.
    • Congresso começa a votar as reformas na Constituição. Na área econômica, entre outras medidas, elimina a distinção entre empresa nacional e estrangeira e abre à iniciativa privada atividades antes monopólio do estado, como exploração, pesquisa, lavra e distribuição de derivados de petróleo, gás encanado, telecomunicações e exploração de recursos hidráulicos e minerais. 
    • Tratado de Assunção cria o Mercosul, com Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai.
    • Em abril, o irmão do presidente, Pedro Collor, denuncia esquema de corrupção comandado por Paulo César Farias, tesoureiro da campanha presidencial de Fernando Collor. Em maio, denúncias começam a ser apuradas em CPI. Em agosto, o presidente da República é incriminado em relatório da CPI e, em setembro, seu tesoureiro é indiciado pela CPI em nove crimes, entre os quais, corrupção, falsificação, exploração de prestígio e formação de quadrilha.
    • “Caras-pintadas” (estudantes) pedem nas ruas a deposição de Collor. 
    • Criada a North American Free Trade Agreement (Nafta), zona de livre comércio que congrega Estados Unidos, México e Canadá.
    • Aprovado o pedido de impeachment do presidente na Câmara. O vice Itamar Franco assume a presidência interinamente.
    • Senado julga o pedido de impeachment. Collor renuncia, mas a sessão prossegue e ele tem os direitos políticos cassados por oito anos. 
    • Itamar assume em caráter definitivo.
    • De outubro de 1992 a maio de 1993, mudanças na Fazenda: sai Marcílio, entra Gustavo Krause; sai Krause, entra Paulo Haddad; sai Haddad, entra Elizeu Resende; e sai Elizeu, entra Fernando Henrique Cardoso.
    • PIB de –0,47% e inflação de 1.157,84%.

  • 1993

    • Em janeiro desse ano a lista de produtos do IPA sobe de 423 para 481.
    • Instituto de Pesquisas Econômica Aplicadas (IPEA) revela que 31,6 milhões de brasileiros passam fome.
    • Lançada a Ação da Cidadania contra a Miséria e Pela Vida, ou Campanha contra a Fome, pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. 
    • Em Plebiscito, a monarquia e o parlamentarismo são derrotados, sendo mantida a república e o presidencialismo.
    • Decretada a prisão de Paulo César Farias.
    • Denunciadas irregularidades no orçamento, sendo acusados seis ministros, três governadores e 23 deputados e senadores. Aberta a CPI. 
    • A Companhia Siderúrgica Nacional é privatizada.
    • O Tratado de Maastricht dá origem à criação da União Européia. A Comunidade Européia, antes apenas uma zona de livre comércio, dá início a sua unificação política e econômica.
    • Foi lançado em setembro a versão 10 do IGP (IGP-10).
    • PIB de 4,67% e inflação de 2.708,17%.

  • 1994

    • IBRE divulga os novos pesos que estão sendo utilizados na construção dos Índices de Preços ao Consumidor, componentes do IGP-DI, IGP-M E IGP-10.
    • Com a função de implantar a moeda única (euro), é criado o Instituto Monetário Europeu, futuro Banco Central Europeu. 
    • Criada a Unidade Real de Valor (URV), novo indexador “descontaminado” da perda de valor do cruzeiro real e igual a um dólar (CR$ 2.750).
    • Na Fazenda, Rubens Ricupero no lugar de Fernando Henrique.
    • Entra em vigor o Plano Real. A nova moeda passa a ser o real (R$).
    • Na Fazenda, Ciro Gomes entra e sai Ricupero.
    • Crise cambial no México, o “efeito tequila”, afeta a economia dos países emergentes. 
    • Fernando Henrique Cardoso (PSDB-PFL) é eleito presidente no primeiro turno. Obtém 54,3% dos votos contra 27% de Lula (PT).
    • Criada a Área de Livre-Comércio das Américas (Alca), para funcionar em 2005.
    • Decretada pelo Banco Central intervenção no Banespa e Banerj.
    • PIB de 5,33% e inflação de 1.093,89%.

  • 1995

    • Fernando Henrique assume o governo. Pedro Malan é o ministro da Fazenda.
    • O Mercosul passa a funcionar.
    • Começa a operar a Organização Mundial do Comércio (OMC). 
    • Em novembro, surge o Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Sistema Financeiro Nacional (Proer)
    • A Petrobras perde o monopólio da pesquisa, lavra, refino e transporte do petróleo e gás natural, por decisão do Senado.
    • PIB de 4,42% e inflação de 14,78%. 

  • 1996

    • Redução de 481 para 477 a lista de produtos do IPA.
    • A Light Serviços de Eletricidade S.A. é leiloada na Bolsa de Valores do Rio por US$ 2,26 bilhões. 
    • PIB de 2,15% e inflação de 9,34%.

  • 1997

    • O Congresso aprova a emenda constitucional da reeleição à presidência da República. 
    • O Banco Central intervém no Bamerindus.
    • Privatização da Companhia Vale do Rio Doce e concessão da malha ferroviária.
    • Em agosto, a Bolsa de Valores de Nova York registra queda de 3,11% em um só dia, reflexo da crise na Tailândia, Filipinas e Malásia. Em outubro, queda nas bolsas do mundo — a de Nova York sofre queda de 7,18% — por conta do ataque especulativo ao dólar de Hong Kong. 
    • PIB de 3,38% e inflação de 7,48%.

  • 1998

    • As reservas monetárias brasileiras caem de US$ 74 bilhões, em abril, para US$ 42 bilhões em outubro.
    • Por R$ 22 bilhões, é vendido o sistema Telebrás, dividido em 12 empresas de telefonia.
    • Novamente em primeiro turno, com 54,27% dos votos válidos contra 31,71% de Lula, Fernando Henrique se reelege presidente.
    • Em razão das crises asiática (outubro de 1997) e russa (agosto de 1998), o governo negocia acordo com o FMI, para receber US$ 18 bilhões. Viriam mais US$ 23,5 bilhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento, do Banco Mundial e do Banco de Compensações Internacionais. 
    • PIB de 0,04% e inflação de 1,70%.

  • 1999

    • Foi criado o Centro de Estatísticas e Análises Econômicas, que juntou o Banco de Dados com o Centro de Estudos Tendências.
    • Fernando Henrique assume segundo mandato prometendo gerar mais emprego.
    • Doze países da Europa adotam o euro. 
    • O real é desvalorizado em relação ao dólar. Gustavo Franco sai da presidência do Banco Central. Assume Francisco Lopes depois substituído por Armínio Fraga.
    • Estouram os escândalos dos bancos Marka e Fonte Cidan.
    • O governador Itamar Franco decreta, por 90 dias, a moratória de Minas Gerais.
    • PIB de 0,25% e inflação de 19,98%.

2000
  • 2000

    • Criação do Centro de Políticas Sociais (CPS).
    • Primeiro Fórum Social Mundial em Porto Alegre (RS).
    • Em leilão, o banco espanhol Santander adquire o Banespa.
    • Nas eleições para prefeitos e vereadores em 5.548 municípios, o PT obtém o maior número de votos, conquistando o governo de 17 de 62 cidades mais importantes.
    • Depois de uma apuração colocada sob suspeita, o republicano George W. Bush é considerado presidente dos EUA, derrotando o democrata Al Gore. 
    • PIB de 4,31% e inflação de 9,81%.

  • 2001

    • Redução do IPA de 477 itens para 462.
    • O presidente Fernando Henrique proclama: "Exportar ou morrer".
    • Em 11 de setembro, terroristas da Al-Qaeda, sob orientação de Osama Bin Laden, projetam dois aviões com passageiros contra as torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, e as derrubam. Um outro atinge parcialmente o Pentágono e um quarto cai numa zona rural da Pensilvânia. 
    • Os EUA invadem o Afeganistão por abrigar Bin Laden.
    • "Apagão": crise no setor de abastecimento de energia elétrica - o consumo é reduzido em 20%. Governo culpa a falta de chuvas.
    • Crise econômica na Argentina. O presidente Fernando De La Rúa renuncia, caindo também o ministro da Economia, Domingo Cavallo. 
    • PIB de 1,31% e inflação de 10,40%.

  • 2002

    • O governo consegue empréstimo de US$ 30,4 bilhões do FMI. Compromete-se a perseguir um superávit primário de 3,75% do PIB nos próximos três anos, assumir compromisso com metas inflacionárias e limite máximo de gastos de US$ 3 bilhões com as intervenções no câmbio a cada 30 dias.
    • Na Argentina, o presidente Eduardo Duhalde lança pacote econômico, provocando a desvalorização do peso depois de 10 anos de paridade cambial com o dólar. O governo recorre ao FMI sem sucesso. Roberto Lavagna assume o Ministério da Economia - é o sexto em 13 meses.
    • FMI considera "prudente e cauteloso" o programa econômico do candidato do PT à presidência.
    • Lula (PT-PL) conquista 61,3% dos votos válidos e derrota o candidato governista José Serra (PSDB-PMDB).
    • Foi criado o IPC-S, Índice de Preços ao Consumidor Semanal baseado na coleta de quase 200 mil cotações de 425 produtos e serviços.
    • PIB de 2,66% e inflação de 26,41%.
    2003 |
    • Lula assume a presidência com o compromisso de acabar com a fome e promete espetáculo do crescimento. Antonio Palocci no Ministério da Fazenda e Henrique Meirelles no Banco Central.
    • Lançado o programa Fome Zero. 
    • Lula presente ao III Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, de onde segue para Davos, Suíça, para o Fórum Econômico Mundial.
    • Banco Mundial concede empréstimo de US$ 500 milhões ao Brasil.
    • Tropas dos EUA invadem o Iraque sob a justificativa de que o governo de Saddan Hussein produzia e estocava armas de destruição em massa.  
    • Na Argentina, Néstor Kirchner, do Partido Peronista, assume a presidência e promete não pagar a dívida externa para evitar o empobrecimento da população.
    • Reformas da Previdência e Tributária.
    • Governo lança o Bolsa-Família. 
    • PIB de 1,15% e inflação de 7,67%.
     2004 |
    • O vice-presidente José Alencar e o chefe da Casa Civil, José Dirceu, criticam as altas taxas de juros.
    • George W. Bush é reeleito presidente dos EUA.
    • Juros sobem - começou o ano em 16,5% e terminou em 17,75%.
    • PIB de 5,71% e inflação de 12,14%.

  • 2005

    • Criada a Sondagem do Consumidor, com periodicidade mensal.
    • Neste ano a Sondagem da Indústria muda sua periodicidade de trimestral para mensal.
    • José Alencar continua a criticar os juros elevados.
    • Lula promete manter política econômica.
    • Em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", o deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, denuncia um esquema corrupção no Congresso Nacional, com o PT pagando mensalmente R$ 30 mil a deputados aliados. O esquema, disse ele, era coordenado por José Dirceu, chefe da Casa Civil, e Delúbio Soares, tesoureiro do PT. O dinheiro vinha do publicitário Marcos Valério de Souza. 
    • Congresso cria a CPI Mista dos Correios. 
    • O deputado José Dirceu é afastado da Casa Civil e volta para Câmara. 
    • A revista "Veja" liga Valério à direção do PT, através de um empréstimo de R$ 2,4 milhões obtido no BMG de Belo Horizonte. José Genoino deixa a presidência do PT. Delúbio toma igual caminho. E mais tarde, Silvio Pereira, secretário-geral. 
    • Valério diz que emprestou dinheiro às campanhas do PT. Delúbio afirma que eram "recursos não-contabilizados" (leia-se caixa 2). 
    • O presidente do PSDB, senador Eduardo Azeredo, também recebeu empréstimos de Valério para o caixa 2 nas eleições de 2001. 
    • Em setembro, Jefferson é cassado por seus pares na Câmara. Em dezembro, José Dirceu. Perdem os direitos políticos por 10 anos. 
    • Rogério Buratti acusa Palocci, de quem foi assessor na prefeitura de Ribeirão Preto, de receber R$ 50 mil por mês de empreiteiras quando prefeito da cidade do interior paulista entre 2001 e 2002. Palocci nega.
    • Febre aftosa compromete exportação de carne.
    • PIB de 2,94% e inflação de 1,22%.

  • 2006

    • Alteração do IPA de 462 itens para 460.
    • O governo boliviano anuncia a estatização de unidades da Petrobras.
    • Palocci pede afastamento da Fazenda sob suspeita de ter autorizado a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, que o acusara de freqüentar uma mansão em Brasília que reunia lobista. Palocci nega. Assume Guido Mantega.
    • Comandado pelo presidente Evo Morales, o Exército da Bolívia ocupa instalações da Petrobras.
    • Petrobras anuncia auto-suficiência do Brasil na produção de petróleo.
    • Em São Paulo, petistas são presos pela Polícia Federal com R$ 1,7 milhão que seriam usados para pagar denúncias contra o candidato ao governo paulista José Serra (PSDB). 
    • Boeing da Gol cai ao norte de Mato Grosso, matando 154 pessoas.
    • Com 60,83% dos votos válidos, Lula conquista a reeleição à presidência ao derrotar Geraldo Alckmin (PSDB).
    • Atrasos e cancelamentos de vôos causam o "apagão", provocando protestos nos aeroportos. 
    • Na presidência da Venezuela desde 1998, Hugo Chávez é reeleito por mais seis anos com 62% dos votos. Promete aprofundar a revolução socialista e alterrar a Constituição para tornar indefinida a reeleição à presidência.
    • PIB de 3,70% e inflação de 3,79%.

  • 2007

    • Governo lança o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), prometendo investir R$ 503,9 bilhões nos próximos quatro anos.
    • Supremo Tribunal Federal acolhe denúncia contra 40 "mensaleiros". 
    • "Apagão" no setor aéreo continua. 
    • Avião da TAM desliza pela pista do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e bate num prédio. Morrem 187 pessoas que estavam a bordo e no solo. 
    • Nelson Jobim substitui Waldir Pires no Ministério da Defesa.
    • Renan Calheiros, presidente do Senado, é acusado, mas absolvido pelo plenário, de utilizar um lobista para pagar a pensão de sua filha, fruto de uma relação extra-conjulgal. Envolvido entre outras denúncias, pede licença.
    • O governo se empenha para aprovar no Senado, antes de terminar o ano, a prorrogação até 2011 a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).
    • O barril de petróleo ultrapassa os US$ 90.
    • Crise no abastecimento de gás.
    • A revista Conjuntura Econômica, editada a cada mês ininterruptamente e sempre pela Fundação Getulio Vargas, completa 60 anos de existência. 

  • 2008

    • Reestruturação do IPA, com base na CNAE 1.0 . Mudança da estrutura de 460 para 356 itens.

  • 2009

    • Lançada a Sondagem de Investimentos da Indústria.
    • Criação do CODACE - Comitê de Datação de Ciclos Econômicos, que tem como finalidade estabelecer cronologias de referência para os ciclos econômicos brasileiros.
    • Em agosto, o IBRE inicia sua presença nas redes sociais e cria um perfil no Twitter.

  • 2010

    • Lançado, em janeiro deste ano, o novo portal do IBRE/FGV. 
    • Em abril de 2010 a nomenclatura do IPA foi modificada de Índice de Preços por Atacado para Índice de Preços ao Produtor Amplo, mas manteve-se a sigla IPA.
    • Em junho foi criada a Sondagem de Serviços - Índice de Confiança de Serviços (ICS).
    • A edição de agosto/setembro de 2010 da revista inglesa The Economist retrata em editorial e artigo “o milagre da agricultura brasileira”, tomando como base os resultados obtidos na pesquisa “Quem produz o quê no campo: quanto e onde II” - realizada pelos integrantes do Centro de Estudos Agrícolas do IBRE (CEA), Daniela Rocha, Ignez Guatimosim Vidigal Lopes e Mauro de Resende Lopes.
    • A revista Conjuntura Econômica lança, em outubro, a coleção de vídeos “Conjuntura Brasil – Projeto História Econômica Brasileira Contemporânea”, com o patrocínio da Oi e apoio da Oi Futuro e do Ministério da Cultura.
    • Em novembro, a revista Conjuntura Econômica é vencedora da 18a Edição do Prêmio CNH - Case New Holland - de Jornalismo Econômico — na categoria “Excelência Jornalística”, com a reportagem Petróleo e Gás – Marco regulatório – debate salgado (edição de agosto de 2010), de Liliana Lavoratti.

  • 2011

    • A versão eletrônica da revista Conjuntura Econômica comercializada nos Estados Unidos, The Brazilian Economy, conquista espaço no site da Câmera de Comércio Brasil-China em janeiro.
    • Em 11 de fevereiro, o IBRE lançou um novo índice de rentabilidade do mercado brasileiro de imóveis comerciais: Índice Geral do Mercado Imobiliário–Comercial (IGMI-C).
    • Em julho, o IBRE cria perfil no Facebook.
    • Visando expandir a presença nas redes sociais, IBRE adere ao LinkedIn em agosto com um perfil corporativo e um grupo de discussão.
    • No dia 24 de setembro, o IBRE completa 60 anos. Em 1951, o instituto foi criado para produzir indicadores financeiros de grande relevância para a história econômica do país, entre eles o PIB e as Contas Nacionais, hoje calculados pelo IBGE.

  • 2012

    • Janeiro: O canal do IBRE no FGVTV (perfil da FGV no YouTube) atinge a marca de 200 vídeos produzidos que trazem comentários de economistas sobre os índices e sondagens divulgados pelo Instituto. No mesmo mês, o IBRE inaugura um perfil na página SoundCloud para disponibilizar podcasts(gravações em áudio publicadas na internet).
    • Em fevereiro, a reportagem “Marco Regulatório: um debate salgado”, escrita pela jornalista Liliana Lavoratti e publicada na edição de março de 2010 de Conjuntura Econômica, foi a vencedora da 10ª edição do Prêmio ONIP de Jornalismo, na categoria “Revista”.
    • Fevereiro: O Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-Br) passa pela 11° atualização de sua estrutura de ponderação. Diferentemente das últimas revisões – orientadas por Pesquisas de Orçamentos Familiares (POFs) realizadas pela FGV – a atual passa a ter por base a POF efetuada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre 2008 e 2009.
    • Março: Revista Conjuntura Econômica lança versão para iPad. Acompanhando os avanços tecnológicos, a revista Conjuntura Econômica passa a ter sua versão impressa adaptada para o iPad. Esse é o segundo aplicativo oficial FGV na loja da Apple. O primeiro foi a The Brazilian Economy (versão eletrônica em inglês de Conjuntura Econômica). O processo de inclusão das duas edições – em português e inglês – em iPads faz parte do esforço do IBRE em acompanhar as novas tecnologias e, através delas, ampliar o leque de acesso à informação de qualidade gerada pela revista.

  • 2013

    • Janeiro: Portal ganha versão para dispositivos móveis - É possível acessar o Portal do IBRE numa versão mais leve por smartphone, tablet e outros dispositivos móveis. O formato mobile, implantado em dezembro de 2012 pelo Núcleo de Administração do Portal e Infraestrutura (NAPI/IBRE), torna a navegação mais rápida e eficiente, já que traz na página de abertura apenas os principais tópicos do portal e não carrega, a princípio, fotos e arquivos pesados como na versão clássica. Entre a lista das seções da nova versão estão Notícias, Calendário de divulgações, Direto da Redação, Carta do IBRE, Revista Conjuntura Econômica, Economia Aplicada, Eventos e IBRE na Mídia.
    • Julho: Instituto lança, em parceria com The Conference Board, os Indicadores de Ciclos Econômicos. São eles o Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) e o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE).
    • Novembro: É realizado o seminário Armadilha da Renda Média - Visões do Brasil e da China. A iniciativa foi uma parceria com o Instituto de Estudos da América Latina da Academia de Ciências Sociais da China (ILAS/CASS). Na ocasião foi lançado o livro de mesmo nome, também em parceria com a instituição chinesa. 
    • Dezembro: Durante o último Seminário de Análise Conjuntural de 2013, o IBRE e a Editora FGV lançaram o livro Ensaios IBRE de Economia Brasileira - 1. Organizado pelos professores Regis Bonelli e Armando Castelar Pinheiro, o livro é uma coletânea de trabalhos produzidos pelos pesquisadores do IBRE.

  • 2014

    • Março: O IBRE inaugura uma Showcase Page na rede social LinkedIn.
    • Abril: Lançamento do livro Gargalos e soluções na infraestrutura de transportes. Em entrevista, os organizadores da obra explicam que o livro propõe políticas para superar as limitações dos investimentos em infraestrutura. 
    • Maio: Revista Conjuntura Econômica — publicação mensal da FGV/IBRE — realiza reforma gráfica no periódico. 
    • Junho: Lançamento do Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores, pesquisa obtida com base em informações coletadas no âmbito da Sondagem de Expectativas do Consumidor. A primeira divulgação ocorreu no dia 06 de junho de 2014. Fundação Getulio Vargas — por meio do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) e da FGV Energia — realiza no dia 02 de junho de 2014 o IV Seminário sobre Matriz e Segurança Energética com a presença das principais lideranças do setor. O evento tem a participação da presidência da Petrobras.
    • Julho: Portal inaugura diretório com os Textos de Discussão de autoria de pesquisadores de Economia Aplicada. Em agosto de 2014, a seção já conta com mais de 60 estudos nas áreas de petróleo, educação, setor externo, finanças, entre outros temas.
    • Setembro: No dia 24, o Instituto completa 63 anos de existência. Em 15 de setembro há o lançamento do livro Panorama do Mercado de Trabalho no Brasil. A publicação traz visões e interpretações de especialistas em economia do trabalho sobre a evolução do mercado de trabalho brasileiro desde os anos 1990.
    • Novembro: O livro 50 anos da Reforma Tributária Nacional: origens e lições é lançado pela Editora FGV. Portal disponibiliza a obra, que é composta pelas propostas de reformas encaminhadas ao governo no final de 1965. No dia 27 de novembro, a presidente Dilma Rousseff anuncia que o pesquisador da FGV/IBRE Nelson Henrique Barbosa Filho assume o Ministério do Planejamento. 
    • Dezembro: Revista Conjuntura Econômica — publicação mensal da FGV/IBRE — recebe menção honrosa no 22º Prêmio CNH Industrial de Jornalismo Econômico. O reconhecimento foi pela matéria de capa da edição de julho sobre o tema educação. No dia 8 de dezembro de 2014, Instituto realiza o Seminário Financiamento e Gestão da Educação do Brasil. O evento foi exibido ao vivo pelo portal. No dia 17 do mesmo mês houve o lançamento da coletânea Ensaios IBRE de Economia Brasileira - Volume II. O livro traz um diversificado repertório de análises sobre componentes centrais da política econômica e do desempenho econômico do país.

  • 2015

    • Mais 2,5 milhões de preços pesquisados
    • Mais de 100 mil questionários aplicados ao ano
    • Mais de 900 mil séries estatísticas produzidas
    • Mais de 35% de citações nas atas do Comitê de Política Monetária (Copom)
    • 26 eventos promovidos e copromovidos
    • Mais de 25 mil empresas informantes
    • Líder em exposição de mídia na FGV

  • 2016

    • 1º na projeção do IBC-Br (Brazil Economic Activity GDP/Banco Central).
    • 2º na projeção da PMC (Brazil Retail Sales Volume/IBGE).
    • 5º na projeção da PIM (Brazil Industrial Production/IBGE).
    • 1º na projeção do PIB A/A (Brazil GDP YoY/IBGE).
    • 2º na projeção do PIB Acumulado em 4 trimestres (Brazil GDP 4Q/IBGE).
    • 2.037.630 de preços pesquisados no ano.
    • 98.900 questionários de sondagens aplicados no ano.
    • 183 produções intelectuais de pesquisadores e técnicos.
    • 15 eventos promovidos e copromovidos.
    • 19 projetos de consultoria, cooperação técnica, científica e acadêmica.

  • 2017

    • Lançamento do Novo Sistema de Custos Referenciais de Obras (Sicro), em parceria com o DNIT.
    • Lançamento do Indicador do Comércio Exterior (Icomex).
    • Lançamento do Índice de Confiança Empresarial (ICE).
    • Top 5 em projeções macroeconômicas na Bloomberg.
    • 2.210.555 de preços pesquisados no ano.
    • 82.920 questionários de sondagens aplicados no ano.
    • 136 projetos de consultoria, cooperação técnica, científica e acadêmica.

  • 2018

    • Promoção da série, em parceria com o Estadão, “Os Economistas das Eleições”.
    • Acordo com o IPECE para elaborar ferramenta para melhorar a gestão pública do Ceará.
    • Lançamento do Portal da Inflação.
    • Líder em exposição de mídia da FGV.
    • Top 5 em projeções macroeconômicas na Bloomberg.
    • 2.222.851 de preços pesquisados no ano.
    • 80.160 questionários de sondagens aplicados no ano.

2020