Sumário

Revista Conjuntura Econômica | maio de 2022

Carta do IBRE
Melhora fiscal é de curto prazo, e é preciso reorganização abrangente das finanças públicas – Luiz Guilherme Schymura

Ponto de Vista
Brasil no longo prazo – Samuel Pessôa

Entrevista
Felipe Salto – Claudio Conceição e Solange Monteiro

Macroeconomia
Consórcio social: gestão compartilhada da responsabilidade social – José Roberto R. Afonso e Élida Graziane Pinto
Qual é o efeito da taxa de juros sobre a inflação atual? – Nelson Marconi

Capa | Atividade
PIB brasileiro – Solange Monteiro

Energia
Tecnologia e o setor de O&G no contexto da transição energética – Fernanda Delgado, Melissa Fernández e Raquel Filgueiras
Ajuste na rota da transição energética sem perder o norte – Joisa Dutra

Comércio Exterior
Um retrato da balança comercial: a rigidez das pautas de exportações e importações – Lia Baker Valls Pereira

Carta do IBRE

O tema fiscal esteve presente em Cartas do IBRE recentes.

Nota do editor

Na última quarta-feira, 4, o FED, o Banco Central dos Estados Unidos, aumentou em 0,5 ponto percentual a taxa básica de juros, a maior desde 2000, para enfrentar a inflação crescente que chegou a 8,5% em março. A decisão é ruim para o Brasil e países emergentes já que papéis norte-americanos se tornam mais atrativos com taxas de juros mais elevadas.